Estas dicas vão ajudá-lo a poupar (ainda mais) nos saldos

Os saldos de verão arrancam esta semana. Esta época é uma oportunidade para comprar alguns artigos de que precisa ou deseja a preços mais reduzidos. No entanto, podem um período onde gasta mais do que devia, apenas porque os preços "estão baixos".

Quantas vezes, quando chegou a casa e faz contas, percebeu que gastou mais do que devia? Assim, conhecer algumas dicas de poupança é essencial para tirar o melhor proveito possível dos saldos.

1. Faça uma lista e defina um orçamento

Fazer uma lista é uma dica de poupança essencial que é transversal a muitas áreas do nosso dia-a-dia. Para que consiga ser mais eficaz nas suas compras, o ideal é fazer primeiro um levantamento do que precisa ou quer comprar.

Antes de ir às compras, faça uma limpeza geral ao seu guarda-roupa, armários e dispensa. Ao mesmo tempo, vá anotando tudo aquilo que lhe está a fazer falta ou que vai ser preciso substituir.

Ao mesmo tempo que faz a lista, deve estipular até quanto pretende gastar por cada artigo. É verdade que os produtos estão com preços mais reduzidos, sendo boas oportunidades. No entanto, se não traçar um limite ao orçamento muito facilmente pode derrapar, gastando mais do que aquilo que estava à espera.

Além disso, estipular um orçamento obriga-o a ter mais controlo nas suas compras. Sempre que se recordar do valor que decidiu fixar, vai dar assim prioridade a determinados produtos de que necessita.

2. Compare preços

Ao procurar um artigo específico, tem a oportunidade de comparar os preços em diferentes estabelecimentos. Mesmo em época de saldos consegue-se encontrar grandes diferenças de preços. Pode até fazê-lo online antes de ir às compras. Existem até ferramentas que o podem ajudar nesta tarefa. É o caso do Kuanto Kusta, por exemplo, onde pode comparar o preço daquilo que quer comprar em centenas de lojas diferentes.

Por isso, aproveite a lista de fez inicialmente para apontar os preços mais baixos e respetivas lojas. Esta dica vai fazer toda a diferença na conta final.

3. Seja racional nas suas escolhas

Os saldos também são um apelo ao consumismo. Durante este período é importante resistir às compras por impulso, devendo manter-se fiel à lista de traçou inicialmente.

Não se esqueça que ao comprar algo de que não precisa apenas pelo desconto, não está a poupar o valor do desconto, mas sim a gastar o valor da peça. E deste modo, é difícil poupar nos saldos ou em qualquer outra altura.

Por muito que custe, as compras não devem ser decididas por impulso nem com base na emoção, mas sim da forma mais racional possível. Claro que pode dar-se o caso de deparar-se com algum artigo que não faz parte da sua lista e constituir uma boa oportunidade.

Assim, antes de comprar algo que não está na lista, faça sempre esta pergunta: "Preciso mesmo disto?" Se a resposta for "Não", poupe esse dinheiro para algo de que realmente necessita.

E se precisar de uma ajuda, pode usar o Desmotivador de Compras, uma ferramenta do Doutor Finanças. Com esta ferramenta vai conseguir saber quantas horas precisa de trabalhar para pagar aquele bem ou serviço que está a pensar adquirir.

4. Aposte em básicos e peças intemporais

No que diz respeito a roupa, apostar nos básicos e nas peças intemporais é uma boa opção. Ao contrário de outras peças mais da moda, e que hoje são tendência, mas que depois não vai voltar a usar, as peças mais básicas tendem a ser aquelas que mais se utilizam. Assim, esta é uma boa altura para reforçar o seu guarda-roupa sem gastar muito dinheiro.

Além disso, comprar peças a pensar no inverno - como um bom casaco, por exemplo - também não é assim tão descabido. É um investimento que vai acabar por compensar daqui a uns meses.

5. Dê prioridade às compras online

Em primeiro lugar, ao comprar online já vai fazê-lo poupar nas deslocações. Sem sair de casa, pode procurar pelas oportunidades que lhe interessam, sem a pressão de ter de decidir na hora como acontece numa loja física.

E se vir que o valor do artigo que se encontra em saldos é ainda mais baixo se a compra for pelo site ou aplicação móvel da marca do que na loja física - por vezes acontece -, aproveite e faça a compra pela Internet.

Saiba ainda que no caso das compras online, tem 14 dias para devolver o artigo, sem qualquer justificação.

6. Se comprar em lojas físicas, esqueça os cartões

Se optar por comprar fisicamente em loja, levante dinheiro antes e esqueça os cartões. Isto porque quando fazemos compras em dinheiro temos a verdadeira noção do que estamos a gastar. Se usarmos o cartão multibanco facilmente perdemos a noção do valor que estamos a gastar e ultrapassamos o orçamento que definimos inicialmente.

Se optar por fazer parte das compras online retire o valor do orçamento e levante apenas o que tenciona gastar nas lojas físicas. É que comprar em dinheiro transmite-lhe rapidamente a "dor" do pagamento, o que também é uma forma importante de autocontrolo.

7. Peça fatura com número contribuinte

Por fim, pode não parecer tão óbvio, mas ao pedir fatura com número de contribuinte também o vai ajudar a poupar. E não só nos saldos, como durante todo o ano. Como? Ao associar o seu número de contribuinte às faturas, poderá usá-las mais tarde para efeitos de IRS, inserindo os valores gastos na categoria adequada.

Além disso, se precisar de realizar trocas ou devoluções, é muito mais fácil se tiver o seu número de contribuinte associado à fatura, no caso de por exemplo, perder o talão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de