Seguro de desemprego: O que é e quais são as vantagens?

Em alguns casos pode estar apenas coberto em caso de desemprego, mas, noutros casos, pode adicionar uma cobertura para casos de invalidez. Conheça os tipos de seguros de desemprego que existem.

Sabia que é possível subscrever um seguro de desemprego? O seguro de desemprego tem como objetivo garantir o seu rendimento numa situação de desemprego involuntário. Assim como em qualquer outro seguro, este também requer o pagamento de uma mensalidade, que vai variar de acordo com as coberturas contratadas. Por exemplo, em alguns casos pode estar apenas coberto em caso de desemprego, mas, noutros casos, pode adicionar uma cobertura para casos de invalidez.

A oferta deste produto existe em várias instituições bancárias e seguradoras e pode ser apresentado com nomes diferentes: proteção ao vencimento, proteção ao salário ou plano proteção ao desemprego.

O seguro de desemprego pode ser subscrito por trabalhadores por conta de outrem ou por conta própria, mas as condições são diferentes.

Leia também: Vou ficar sem emprego, o que tenho de fazer para aceder ao subsídio de desemprego?

Que tipos de seguros de desemprego existem?

Existem dois tipos de seguros de desemprego. Quando subscreve um seguro de desemprego pode fazê-lo com uma cobertura independente, ou seja, com um valor fixo, ou com uma cobertura no valor de um determinado encargo. Esse valor, é na maior parte dos casos uma percentagem do valor do seu salário líquido. Mas com valores máximos estabelecidos e por um período tempo limitado.

No caso de ser trabalhador por conta própria, o pagamento será também uma percentagem dos rendimentos declarados, tendo igualmente limites máximos e prazo temporal de seis meses.

No caso do seguro de desemprego com a cobertura independente, este garante apenas a mesma prestação todos os meses, independentemente de quanto era o seu salário ou quais são os seus encargos.

Já se optar pelo seguro de desemprego com a cobertura de um determinado encargo, tal como o nome indica, no caso de ficar sem emprego, vai garantir o pagamento dessa mesma despesa. Por exemplo, imagine que escolhe a prestação mensal do crédito habitação, este seguro vai garantir que esta vai ser paga todos os meses. Mas, atenção: se quiser garantir o pagamento do seu empréstimo confirme, antes de subscrever um novo seguro, se o seguro que contratou para o crédito habitação não inclui esta proteção.

Em ambos os casos, a prestação mensal coberta não pode ultrapassar o valor pré-determinado.

Além disso, saiba que se já se encontrar numa situação de desemprego, não pode subscrever este seguro. Para ser elegível para este seguro terá que, no momento da sua subscrição, estar a trabalhar por conta própria ou por conta de outrem.

O que ter em conta antes de escolher um seguro?

Independentemente do seguro que for contratar, há sempre algumas questões a analisar antes de tomar uma decisão.

Em primeiro lugar, deve analisar as coberturas. Deve perceber quais são as necessidades que quer cobrir e qual é a sua disponibilidade financeira. Aqui pode complementar o seu seguro adicionando coberturas ou até mesmo retirar aquelas que não considera necessárias e que encarecem o seu seguro.

Também importantes são os períodos de carência, ou seja, o tempo que é necessário esperar até que o seguro possa ser acionado. Este período não é uniforme entre seguros, sendo que, mesmo dentro do mesmo seguro podem existir diferentes períodos de carência para cada tipo da cobertura. Por isso, tenha o cuidado de analisá-los para saber quantas mensalidades terá de pagar até poder ativar o apoio.

Outro detalhe a ter em conta prende-se com as exclusões. As coberturas associadas ao seguro de desemprego não estão isentas de exclusões. Esteja atento, já que para além das exclusões particulares que a seguradora poderá vir a aplicar no seu caso, tem que ter ainda em atenção às exclusões gerais.

E, por fim, informe-se sobre os prazos. No caso do seguro de desemprego existe um prazo máximo no qual pagam a mensalidade pré-acordada em caso de desemprego involuntário, e esse prazo é de seis meses.

E ainda: As 3 coisas que deve fazer assim que recebe o seu salário

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de