Vale a pena fazer um seguro para ir de férias?

Viajar de forma segura é importante para umas férias mais descansadas. Os seguros de viagem não devem ser descartados. No entanto, para que não gaste mais do que aquilo que precisa, é essencial analisar todos os seus seguros para evitar a duplicação de coberturas.

Fazer um seguro de viagem antes de umas férias pode ser um passo importante para acautelar possíveis imprevistos. Assim como os outros tipos de seguros, o seguro de viagem serve para prestar apoio em caso de acidentes, doença ou qualquer outro incidente que o obrigue a procurar assistência médica ou a alterar a sua estadia.

A verdade é que o seguro de viagem é um pacote de coberturas reunidas na mesma apólice, vendidas em conjunto, com uma duração igual à da deslocação. Porém, sabia que a maioria dessas coberturas já está prevista noutros produtos?

Se tiver um seguro automóvel, é quase certo de que este tem uma cobertura em viagem, e essa aplica-se mesmo quando não leva o carro consigo. Assim, se tem seguro automóvel ou outros produtos como cartão de crédito, seguro de vida associado ao crédito habitação ou seguro de saúde, leia os contratos. Pode estar já coberto por um seguro desta natureza sem saber.

Confirme se há duplicação de coberturas

Ao contratar um seguro de viagem, vai ter uma cobertura de acidentes pessoais, que prevê uma indemnização em caso de morte ou invalidez permanente. Mas, esta proteção também está prevista nos seguros de vida associados ao crédito à habitação. Neste caso em particular, a seguradora paga a indemnização à instituição financeira e a família fica livre deste encargo.

No caso de ter um seguro de saúde, as despesas médicas que resultem de um acidente fora de Portugal estão cobertas, desde que o período da estadia seja inferior a 60 dias. Aqui é importante avisar a seguradora de que vai viajar, pois pode dar-se o caso de ter de pagar a conta num primeiro momento e depois apresentar os comprovativos para receber o reembolso.

Alguns seguros de viagem incluem também a cobertura de responsabilidade civil, que garante as compensações a terceiros por danos causados pelo segurado e pelo seu agregado familiar. Porém, mais uma vez, esta cobertura está prevista noutro produto. Saiba que se pagar a sua viagem com cartão de crédito, em muitos casos pode já estar protegido. A maioria inclui também os acidentes pessoais em viagem, com capitais para morte e invalidez permanente e despesas de tratamento médico. É uma questão de verificar as franquias associadas.

Por isso, verifique os seus seguros, os capitais e as coberturas, já que, dependendo do destino da sua viagem e da duração, pode estar suficientemente protegido. Além disso, se vai viajar para um país europeu, peça o cartão europeu de seguro de doença, na Segurança Social, para ter acesso aos serviços públicos de saúde do país de destino.

Cuidados antes de contratar um seguro de viagem

Depois de analisar as suas apólices, se decidir avançar com a contratação de um seguro de viagem, há alguns cuidados a ter. A saber:

-· Países de exclusão

Há países que são excluídos das coberturas dos seguros de viagem por serem considerados demasiado perigosos. Por isso, se vai viajar para um país que está em guerra, por exemplo, convém confirmar que o seu seguro de viagem não o exclui da lista de coberturas, uma vez que se isso acontecer perde o direito a qualquer apoio.

-· Franquias

Como em qualquer tipo de seguros, produtos diferentes têm preços diferentes, assim como coberturas e franquias distintas. Este detalhe pode ter um grande peso, consoante o destino para onde vai. Imagine que os cuidados de saúde no país de destino são muito caros, se a sua franquia for muito alta, pode ter de desembolsar uma grande quantia até começar a partilhar as despesas com a seguradora.

-· Cobertura de atividades desportivas

Há seguros que não incluem, na apólice base, cobertura de acidentes em atividades desportivas, e outros em que essa cobertura é paga à parte. Por isso, se vai fazer uma viagem onde prevê fazer desporto - por exemplo, para a neve -, tenha o cuidado de garantir que está sempre coberto pela proteção que pagou, até porque a prática de desporto pode aumentar o risco de acidentes.

-· Coberturas anuais

Também é possível fazer um seguro de viagem que cubra várias viagens no espaço de um ano. Esta modalidade, que pode dar jeito a quem viaja muito, é mais cara mas pode compensar dependendo dos destinos, da duração das viagens e da frequência com que sai do país.

-· Limites de idade

Os limites de idade podem ser uma desvantagem no que diz respeito aos seguros de viagem. Assim como acontece nos seguros de saúde, estes produtos aceitam participar nas despesas de viajantes relativamente jovens, mas quando a idade é mais avançada, o cenário pode mudar. Em função da idade que tenha, convém confirmar, se o seguro de viagem que contratou é válido e se não está a comprar algo que depois não lhe vai servir.

-· Cobertura de vacinas

Se vai viajar para um destino que requer vacinação, saiba que os seguros de viagem não cobrem o plano de vacinas. As vacinas terão de ser inteiramente suportadas por si, já que o seguro só se responsabiliza pelas despesas ao longo da viagem.

-· Exclusão do país de origem

E por fim, saiba que o seguro de viagem só cobre incidentes que tenham acontecido no país de destino e não se responsabiliza pelos acidentes que aconteçam no país de origem, por exemplo, no aeroporto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de