estudo

Gene da depressão pode ser o mesmo do sucesso? A ciência explica

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Estudo revela que o gene que causa a depressão pode ser o mesmo que impulsiona o sucesso e a criatividade.

A morte do DJ internacional Avicii ou do chefe de cozinha e apresentador Anthony Bourdain volta a colocar a depressão nos temas da atualidade.

É comum depararmo-nos com reações de surpresa quando pessoas tão bem sucedidas profissional e pessoalmente, reconhecidas em todo o mundo, e com contas bancárias recheadas, encontram no fim da vida a solução para os seus problemas.

O comediante Jim Carrey, uma das personalidades mais bem pagas de Hollywood, já falou abertamente sobre a depressão que enfrentou, afirmando que foi o facto de estar constantemente a interpretar personagens, livres de preocupações, que o colocou no caminho da depressão.”A depressão é quando o teu corpo te diz que já não aguenta mais, te diz que não quer seguir em frente neste mundo”, confessa o artista.

Jim Carrey não é único, também Lady Gaga, Kristen Bell e Dwayne Johnson já admitiram ter passado por fases depressivas durante as suas carreiras.

Ainda são escassos os dados sobre a ligação entre o sucesso e a depressão, a questão sobre o facto de existir ou não uma ligação já é estudada desde sempre.

Ser produtivo durante uma fase depressiva?

O psiquiatra norte-americano Nassir Ghaemi, na sua obra “Uma Loucura de Primeira Ordem”, de 2011, apresentou a controversa hipótese de que em tempos de crise é melhor sermos liderados por indivíduos doentes do que mentalmente saudáveis.

O Business Insider destaca que Mahatma Gandhi e Winston Churchill sofreram de depressão, e que foi exatamente durante essa fase que melhoraram as suas habilidades enquanto líderes.

O problema da tese enunciada por Ghaemi é que ela é incapaz de ser apoiada por um estudo. Atualmente, não há evidências conclusivas de que as pessoas depressivas tenham mais sucesso. Aliás, pelo contrário.

“Qualquer pessoa que esteja a atravessar uma fase depressiva não pode trabalhar adequadamente. E isso é uma desvantagem”, afirma Michael Deuschle, psiquiatra no Instituto Central de Saúde Mental, numa entrevista à mesma publicação.

Ou seja, não existe correlação entre os comportamentos associados à depressão conduzirem ou não ao sucesso, no entanto, ressalva-se que pessoas que sofrem de depressão são geralmente mais responsáveis e úteis quando estão saudáveis, visto que tendem a sentir uma inadequação e isso leva-as a fazer mais do que as outras.

Uma infância conturbada pode levar ao sucesso, à depressão, ou a ambos

Algumas pessoas bem-sucedidas, como Richard Branson e Carsten Maschmeyer, afirmam extrair muita força dos traumas que viveram na infância. Oriundos de famílias desestruturadas, admitem ter prometido a si mesmos que seriam pessoas melhores na vida adulta.

À partida, isto não está diretamente ligado à depressão, mas já foi comprovado que os traumas experienciados na infância podem influenciar o desenvolvimento de uma depressão.

É estatisticamente possível que pessoas de sucesso sofram de depressão, a questão é se elas triunfaram por causa da depressão ou se pelo contrário, é esse sucesso que despoleta a doença.

A ligação entre a criatividade e a depressão

Alguns investigadores afirmam que existe um gene associado ao transtorno depressivo que estimula a criatividade.

O gene neurogulina 1 está presente nas variáveis C e T e, segundo especialistas, aqueles que carregam a variante T são mais suscetíveis à doença. Num estudo realizado com 200 participantes verificou-se que os portadores dessa variante tinham abordagens mais criativas ao responder a questões.

Um outro estudo mostrou que as pessoas que desempenham funções onde é necessário desenvolver a criatividade têm um risco 25% maior de vir a sofrer de algum transtorno mental.

“A depressão, como qualquer outro sofrimento sério leva a uma diferenciação interna, a uma reflexão mais profunda sobre as nossas vidas, e isso é um pré-requisito para a criação artística”, contou Gabriele Hegerl da Universidade de Edimburgo.

É o transtorno bipolar, e não a depressão, que tem de ser estudado?

A depressão pode inspirar as pessoas na arte, mas também as pode inibir. Em fases depressivas, geralmente, é muito complicado para os doentes trabalharem. Vários estudos comprovam que por exemplo, os estudantes diminuem o seu desempenho quando atravessam uma situação destas.

O sucesso também é geralmente associado a outra doença mental – o transtorno bipolar. Recentemente o artista Kante West revelou sofrer com a doença e descreveu-a como a sua ‘super potência’, afirmando que em nada o limita e é a força motriz por detrás do seu sucesso mundial.

Mesmo que exista uma ligação entre a depressão e o sucesso, o dilema dos afetados permanece o mesmo – o sucesso não alivia os sintomas da doença.

“Eu olhei para todos à minha volta e mesmo que olhassem para mim como se eu estivesse a fazer tudo bem, eu não me sentia bem, só conseguia pensar que estava louco. Eu tenho tudo o que sempre quis, eu devia estar feliz”, esta é uma declaração de Avicii, no documentário sobre a sua carreira, lançado apenas seis meses antes da sua morte.

No nosso país é possível recorrer à linha de apoio SOS Voz Amiga, através do número: 800 209 899, totalmente gratuito, que funciona entre as 21h00 e as 00h00, ou para o número 213 544 545, disponível das 16h00 às 00h00. Se é o seu caso, ou conhece alguém que está a atravessar um período conturbado, não hesite em pedir ajuda.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Gene da depressão pode ser o mesmo do sucesso? A ciência explica