Imobiliário

Ninguém quer comprar esta mansão com 214 quartos

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Uma cidade no centro de Silicon Valley, o polo que alberga gigantes tecnológicos como o Facebook, Google e Apple, quer desfazer-se de uma mansão histórica que, todos os anos, custa vários milhões de dólares em manutenção. Só que ninguém a quer comprar.

Construída em 1905, a Hayes Mansion (Mansão Hayes) é hoje um hotel com 214 quartos e um centro de conferências localizado em San Jose, Califórnia (EUA).

A cidade, com um milhão de habitantes, comprou a propriedade privada por 2,5 milhões de dólares (o equivalente hoje a 2,12 milhões de euros) no início da década de 1980, em pleno boom do digital que fez mexer com a vida dos locais. O objetivo era transformar a mansão num centro de negócios para a indústria de tecnologia.

Segundo o Business Insider, turistas e profissionais que visitam a cidade para conferências nunca fizeram o aproveitamento esperado da Hayes Mansion, em parte porque fica nos arredores de Silicon Valley.

Uma investigação realizada pelo jornal San Jose Mercury News descobriu que a cidade, nas últimas três décadas, subsidiou em mais de 60 milhões de dólares (50,8 milhões de euros) as obras de requalificação e manutenção.

San Jose colocou a mansão à venda em julho deste ano, depois de um acordo para vender por 47 milhões (39,8 milhões de euros). Sem comprador à vista teve que descer o valor para os 36 milhões de dólares (30,5 milhões de euros).

Descubra na nossa galeria de imagens como é a bonita a mansão.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: MÁRIO CRUZ/LUSA

Governo formaliza aumento de 55 euros para assistentes operacionais

imobiliario

Taxa de juro no crédito à habitação volta a subir em janeiro

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio, durante o terceiro e último dia do 37.º Congresso Nacional do PSD a decorrer no Centro de Congressos de Lisboa, em Lisboa, 18 de fevereiro de 2018. MÁRIO CRUZ/LUSA

Rio acusa Governo de ser “incapaz” de ter o futuro como prioridade nacional

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Ninguém quer comprar esta mansão com 214 quartos