41,6 milhões de euros. Nunca se pagou tanto por um carro em leilão

Ferrari 250 GTO foi a leilão no sábado e voltou a bater um recorde com quatro anos. Vendedor é antigo funcionário da Microsoft

O Ferrari 250 GTO voltou a bater recordes no mercado de leilões. Um modelo de 1962 deste icónico carro foi vendido este sábado por 48,4 milhões de dólares, qualquer coisa como 41,6 milhões de euros, na operação promovida pela leiloeira RM Sotheby's, em Monterey, no estado da Califórnia, Estados Unidos. Este foi o valor mais alto de sempre pago por um automóvel em leilão.

O carro foi vendido dentro do intervalo de preço esperado pela RM Sotheby's, que previa que este veículo fosse arrematado por um montante entre 45 milhões e 60 milhões de dólares.

Este modelo foi posto à venda por Greg Whitten, presidente da empresa de software Numerix e antigo funcionário da Microsoft, segundo a Bloomberg. Este empresário tinha comprado o Ferrari 250 GTO em 2000, numa altura em que este automóvel estava avaliado em cerca de 10 milhões de dólares.

O automóvel vendido no sábado foi o terceiro de apenas 36 unidades do GTO produzidas entre 1953 e 1964. Este modelo é considerado pelos entusiastas da marca como um dos mais autênticos e originais de todos os GTO existentes. O seu valor foi ainda reforçado pelo facto de ter sido um dos quatro exemplares melhorados na sua época pela carroçadora Scaglietti, que transformou este carro numa máquina de vitórias nas competições internacional de GT em Itália e a nível internacional.

É a segunda vez que um Ferrari 250 GTO bate recordes em leilão. Em 2014, o mesmo modelo da marca italiana, mas com matrícula de 1963, foi vendido em leilão por 38,1 milhões de dólares.

Numa operação de venda privada no início de 2018, este carro já terá rendido 70 milhões de dólares, acrescenta a leiloeira RM Sotheby's.

 

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de