Há 20 concelhos em estado de alerta. Cascais e Sintra juntam-se a Lisboa

O governo atualizou o número de concelhos em estado de alerta que apresentam níveis de incidência mais elevados. O teletrabalho passa a ser obrigatório em dez concelhos, em vez dos atuais quatro.

Paulo Ribeiro Pinto
A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, duranrte a conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, realizado no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, 26 de março de 2021. O Governo anunciou hoje o prolongamento das atuais regras em vigor no plano de desconfinamento e que só vai definir as regras após a Páscoa na próxima semana, no dia 01 de abril. TIAGO PETINGA/LUSA © LUSA

Dez concelhos não avançam no desconfinamento, anunciou esta quinta-feira a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva, no final do Conselho de Ministros.

Sesimbra, Albufeira, Arruda dos Vinhos, Braga, Cascais, Lisboa, Loulé, Odemira, Sertã e Sintra são os municípios em causa.

O ​​​​​​​concelho de Sesimbra está na zona vermelha e não acompanha o desconfinamento, que pela segunda semana consecutiva teve mais de 240 mil casos de covid-19 por 100 mil habitantes.

A partir da próxima semana passam a ser 20 os concelhos do Continente em estado de alerta, que impõe uma vigilância mais apertada por parte das autoridades.

No caso da Área Metropolitana de Lisboa, a partir das 15 horas desta sexta-feira fica proibida a saída e entrada na região, numa tentativa de travar a propagação do vírus a outras zonas do país.

Lisboa está entre os concelhos que vão recuar no processo de desconfinamento por registarem mais de 240 casos por 100 mil habitantes. As medidas de restrição em Sesimbra vão apertar ainda mais uma vez que repetiu duas vezes os 240 casos por 100 mil habitantes.

Os restantes concelhos, recuam para a anterior fase de desconfinamento, implicando que a partir desta sexta-feira, 18 de junho, os restaurantes, cafés e pastelarias voltam a encerrar às 22h30 e os supermercados e hipermercados e restantes lojas até às 21 horas.

O governo decidiu ainda permitir que os concelhos de Alcanena, Paredes de Coura, Santarém e Vale de Cambra recuperam, avançando no desconfinamento.

Teletrabalho obrigatório

Nos dez concelhos que integram a lista dos territórios com maior incidência, o teletrabalho passa a ser obrigatório, com a medida a aplicar-se nos próximos dias. Além de Lisboa, Braga e Odemira (Vale de Cambra saiu da lista), juntam-se mais sete concelhos que passam a estar sob maior vigilância das autoridades de saúde.

Somam-se assim os concelhos de Sesimbra, Albufeira, Arruda dos Vinhos, Cascais, Loulé, Sertã e Sintra. Nestes territórios, passa a ser obrigatório o trabalho à distância, tal como definido nas regras de desconfinamento aprovadas pelo governo.

As empresas com mais de 50 trabalhadores devem organizar de forma desfasada as horas de entrada e saída, garantindo intervalos mínimos de trinta minutos até ao limite de uma hora entre grupos de trabalhadores.

Apenas os concelhos que, em duas avaliações consecutivas, registem uma taxa de incidência superior a 120 casos por cem mil habitantes nos últimos 14 dias (ou superior a 240 nos concelhos de baixa densidade) manterão o regime do teletrabalho obrigatório.

Notícia atualizada às 16h50

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG