Mais 2 mortos e 599 novos casos de covid-19 em Portugal

Há mais sete internamentos hospitalares. O número de doentes nos cuidados intensivos manteve-se inalterado, revela a DGS.

Dinheiro Vivo
 © RICCARDO ANTIMIANI/EPA

Morreram mais 2 pessoas (uma em Lisboa e Vale do Tejo e outra na região Centro) e há mais 599 novos infetados com covid-19 em Portugal, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) deste domingo.

Estão internados 415 doentes com covid-19, mais sete do que ontem, e, deste total, 83 estão nos cuidados intensivos (como ontem).

Desde início da pandemia, em março do ano passado, já foram registadas 17 954 mortes associadas à covid-19 e um total de 1 066 945 casos positivos. O número de recuperados é de 1 017 456 (+543 nas últimas 24 horas).

Há mais 54 casos ativos neste domingo, totalizando agora 31 535. As autoridades de Saúde têm 28 297 contactos em vigilância (-307).

A taxa de incidência, a nível nacional, está nos 127,3 casos de infeção por 100 mil habitantes, enquanto no continente ficou nos 129,7 casos. O R(t) está nos 0,83 em todo o território e nos 0,82 no continente.

No Mundo

A pandemia de covid-19 fez pelo menos 4.740.525 mortes no mundo desde que o gabinete da OMS na China declarou a doença, no final de dezembro de 2019, segundo um balanço feito neste domingo pela AFP a partir de fontes oficiais.

Mais de 231.483.340 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da epidemia.

A grande maioria dos doentes recuperou, mas uma parte ainda mal avaliada conserva sintomas durante semanas, por vezes meses.

No sábado, registaram-se no mundo 6.171 mortes e 378.753 novos casos de covid-19.

Os países que registaram mais novas mortes nos seus balanços foram a Rússia (805) os Estados Unidos (762) e o México (600).

Desde o início da pandemia que os Estados Unidos são o país mais afetado, tanto em número de mortes como de casos, com 687.751 mortes para 42.940.458 casos registados, segundo a contagem da universidade Johns Hopkins.

A seguir aos EUA, os países mais afetados são o Brasil, com 594.200 mortes e 21.343.304 casos, a Índia, com 446.918 mortes (33.652.745 casos), o México, com 275.303 mortes (3.628.812 casos), e a Rússia, com 203.900 mortes (7.420.913 casos).

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é aquele que declara o maior número de mortos em relação à população, com 604 óbitos por 100.000 habitantes, seguido pela Bósnia (318), a Macedónia do Norte (316), a Hungria (312), o Montenegro (301) e a Bulgária (294).

A América Latina e as Caraíbas totalizam hoje 1.483.035 mortes para 44.731.041 casos, a Europa 1.301.290 mortes (67.046.439 casos), a Ásia 833.402 mortes (53.509.572 casos), os EUA e o Canadá 715.382 mortes (44.540.007 casos), África 208.493 mortes (8.235.800 casos), o Médio-Oriente 196.861 mortes (13.250.832 casos), a Oceania 2.062 mortes (169.650 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais e de informações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e exclui revisões realizadas à posteriori por alguns organismos estatísticos, que concluem por um número mais significativo de mortes.

A OMS estima mesmo, tendo em conta a mortalidade direta e indiretamente associada à covid-19, que o balanço da pandemia poderá ser duas a três vezes superior ao oficialmente registado.

Uma parte importante dos casos menos graves ou assintomáticos continua por detetar, apesar da intensificação da despistagem em muitos países.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG