Ronaldo diz para beberem água e ajuda Coca-Cola a perder quase 4 mil milhões de dólares em bolsa

Não é só Elon Musk que faz mexer ativos financeiros usando palavras (neste caso criptomoedas), Cristiano Ronaldo pode ter tido um efeito semelhante nas ações da Coca-Cola.

Dinheiro Vivo
Cristiano Ronaldo na conferência de imprensa (já só com água à sua frente) © UEFA

Pelas 14h desta segunda-feira, Cristiano Ronaldo, o capitão da seleção portuguesa que entra esta tarde em campo no Euro 2020 (disputado em 2021) frente à Hungria, teve uma reação na conferência de imprensa de antevisão do jogo que terá ajudado na queda das ações da gigante Coca-Cola.

A empresa de refrigerantes perdeu 1,6% no seu valor quando a bolsa de Nova Iorque abriu, pelas 14h30 (hora portuguesa), num valor estimado de perto de 4 mil milhões de dólares de perda - dos 242 mil milhões para os 238 mil milhões de dólares.

Inicialmente, de acordo com o jornal Marca, pensou-se que queda significativa se tinha devido na sua maioria ao gesto de Cristiano Ronaldo antes da conferência de imprensa, quando o jogador afastou as duas garrafas do refrigerante, e disse "água", dando a entender que a água é mais saudável.

Entretanto percebeu-se que as ações começaram a descer ainda antes do gesto do capitão da Seleção, mas continuaram a cair após a conferência de imprensa e durante o dia de hoje, altura em que a notícia da postura do português (conhecido por ser defensor de alimentação saudável) contra refrigerantes açucaradas correu o mundo

(o vídeo do momento)

Já hoje as ações da Coca-Cola continuam a tendência de queda, no valor mais baixo desde 1 de junho - as ações valem agora 55,26 dólares (valiam 56,16 dólares antes do mercado abrir - menos os tais 1,6%).

(notícia atualizada com informação mais fidedigna do impacto do gesto de Ronaldo na queda das ações da Coca-Cola, inferior ao que parecia inicialmente).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG