segurança

Criminalidade desceu em todas as regiões do país em 2018

Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita
(Fotografia: Miguel A. Lopes/Lusa)
Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita (Fotografia: Miguel A. Lopes/Lusa)

A criminalidade geral registou uma descida de 3,4% em 2018 face ao ano anterior, enquanto a criminalidade violenta e grave, desceu cerca de 10%.

A criminalidade desceu em 2018 em todas as regiões do país e os assaltos a caixas multibanco, um dos crimes que mais subiu em 2017, diminuíram 90%, disse esta terça-feira o ministro da Administração Interna.

Na comissão parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, Eduardo Cabrita deu conta aos deputados dos dados provisórios sobre a criminalidade de 2018, precisando que até novembro há um “aprofundamento de uma tendência de redução”.

Segundo o ministro, a criminalidade geral registou uma descida de 3,4% em 2018 face ao ano anterior, enquanto a criminalidade violenta e grave, “aquela que mais afeta a perceção no geral de segurança”, desceu cerca de 10%.

Eduardo Cabrita frisou que esta redução “tem como facto inovador” ocorrer “em todos os espaços do território nacional”, designadamente em todas as regiões do continente, Madeira e Açores.

Em relação a um dos crimes que mais tinha subido em 2017, os assaltos a máquinas ATM, o ministro adiantou que se registou uma redução de 90% em 2018, passando das 300 ocorrências para “algumas quatro dezenas”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, João Leão (D), durante o debate e votação da proposta do orçamento suplementar para 2020, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de junho de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Orçamento suplementar mantém despesa de 704 milhões de euros para bancos falidos

Jorge Moreira da Silva, ex-ministro do ambiente

(Orlando Almeida / Global Imagens)

Acordo PS-PSD. “Ninguém gosta de um planalto ideológico”

Mario Draghi, presidente do BCE. Fotografia: Reuters

Covid19. “Bazuca financeira tem de fazer mira à economia, desigualdades e clima”

Criminalidade desceu em todas as regiões do país em 2018