Donos da GNB mudaram morada para a do magnata condenado depois da compra

A notícia lança mais uma dúvida sobre se os fundos da Apax que compraram a GNB Vida não estão ligados ao multimilionário acusado de corrupção nos EUA.

Os fundos da Apax que compraram a GNB Vida, seguradora do Novo Banco, depois do multimilionário americano Greg Lindberg ter desistido do negócio, mudaram a sua morada para a das empresas do investidor em Londres.

A notícia é avançada este sábado pelo jornal Público e aponta para mais um indício que lança dúvidas se os fundos da Apax que compraram a GNB Vida não estarão ligados ao multimilionário que está acusado de corrupção nos EUA, enfrentando uma pena de prisão.

Segundo o jornal, "depois de a reguladora dos seguros aprovar a operação e de a compra da GNB ter sido anunciada em outubro de 2019, os fundos da Apax que se substituíram a Greg Lindberg no negócio mudaram para a morada das empresas do bilionário em Londres".

O Público adianta que o novo endereço - 1 King William Street, caixa postal EC4N 7AR, em Londres - coincide com a morada de empresas do investidor.

Lindberg não passaria no teste de idoneidade da ASF-Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões, a quem cabia aprovar a compra da seguradora do Novo Banco.

O investidor desistiu da aquisição e a GNB Vida acabou por ser comprada pelos fundos da Apax.

O regulador dos seguros português defendeu recentemente a sua decisão de dar luz verde à operação, justificando que não encontrou ligação entre a compradora da seguradora e o multimilionário norte-americano.

Também a compradora da GNB Vida veio dizer que não tem ligações a Lindberg, uma declaração que contrasta com o conteúdo da notícia de hoje do Público.

Em causa, está a venda com um desconto de 70% da GNB Vida pelo Novo Banco, que foi criado para gerir os supostos ativos 'bons' e não tóxicos do BES, que foi alvo de resolução há seis anos.

As perdas do Novo Banco com a venda da sua seguradora justificou um pedido de mais capital ao Fundo de Resolução, no âmbito do acordo feito pelo Banco de Portugal com a Lone Star, quando este fundo abutre norte-americano comprou o banco em outubro de 2017.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de