Emirados vão aplicar multa de 5500 dólares a quem partilhar desinformação

Os Emirados Árabes Unidos vão aplicar uma multa de até 5500 dólares a quem partilhar informação que contradiga as recomendações das entidades oficiais

Partilhar informação médica que contradiga as recomendações das entidades oficiais sobre a covid-19 poderá resultar numa multa de 20 mil dhirhams, cerca de 5500 dólares (cerca de 5507 euros). Passará a ser esta a realidade nos Emirados Árabes Unidos, segundo avança a Reuters, citando a agência noticiosa local WAM.

Com mais de 6300 casos de infetados e registo de 37 mortos, trata-se de uma medida que pretende controlar a desinformação e rumores ligados à pandemia global de covid-19.

"Está proibido a qualquer indivíduo publicar, partilhar ou fazer circular informação médica ou indicações que sejam falsas, induzam em erro ou que não tenham sido anunciadas oficialmente (...) usando papel, audiovisual ou redes sociais, sites ou qualquer outra forma de publicação ou circulação", cita a agência WAM, com acesso à diretiva do governo dos Emirados.

A desinformação à volta do vírus tem sido uma questão em vários países, que tentam controlar a multiplicação deste tipo de mensagens, que podem ir desde a promessa de curas milagrosas, com venda de produtos que possam pôr as pessoas em perigo, até recomendações que não sejam eficazes para a prevenção do vírus.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de