Excedente das contas externas diminui para 1.865 ME no terceiro trimestre - BdP

O excedente das contas externas diminuiu para 1.865 milhões de euros no terceiro trimestre deste ano, quando no período homólogo totalizava 2.223 milhões de euros, segundo divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

O excedente das contas externas diminuiu para 1.865 milhões de euros no terceiro trimestre deste ano, quando no período homólogo totalizava 2.223 milhões de euros, segundo divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Segundo uma nota estatística divulgada hoje pelo Banco de Portugal (BdP), o saldo conjunto das balanças corrente e de capital foi positivo em 1.865 milhões de euros até setembro, menos 357 milhões de euros do que no mesmo período de 2016, uma evolução "determinada pelas balanças de bens, de rendimento primário e de capital".

Até setembro de 2017, a balança corrente (onde se inserem as balanças de bens, serviços e rendimento) viu o seu excedente descer para 648 milhões de euros face ao período homólogo, quando totalizava um saldo positivo de 938 milhões de euros, enquanto a balança de capital também viu o seu excedente descer (de 1.285 milhões no terceiro trimestre do ano passado para 1.217 milhões de euros no mesmo período deste ano).

Dentro da balança corrente, a soma das balanças de bens e serviços resultou num excedente de 3.245 milhões de euros, menos 453 milhões de euros do que no período homólogo.

A balança de serviços viu o seu excedente aumentar 1.531 milhões de euros em termos homólogos, para 11.687 milhões de euros, uma subida que o BdP diz ter sido "insuficiente para compensar o incremento do défice da balança de bens de 1.983 milhões de euros", que totalizou em setembro 8.442 milhões de euros.

O BdP refere ainda que o défice da balança de rendimento primário (que é contabilizada também dentro da balança corrente) aumentou 270 milhões de euros, para 4.095 milhões de euros.

"Esta evolução deveu-se, sobretudo, à redução das transferências da União Europeia, que também teve impacto no saldo da balança de capital", refere o supervisor bancário.

Por outro lado, o BdP afirma que "nos primeiros nove meses de 2017, o saldo da balança financeira registou um acréscimo dos ativos líquidos de Portugal sobre o exterior no valor de 2.376 milhões de euros".

Segundo explica o banco central, este aumento "traduziu-se, essencialmente, no investimento em títulos de dívida por parte do setor financeiro e na redução do passivo das administrações públicas, em resultado do reembolso antecipado, ocorrido em meses anteriores, de 5.374 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira".

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de