Brasil

Governo aconselha precaução em deslocações ao Estado de Ceará no Brasil

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros. Fotografia: António Cotrim/Lusa
Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros. Fotografia: António Cotrim/Lusa

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português aconselhou esta terça-feira a "máxima prudência" devido à insegurança que assola esta região.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português aconselhou esta terça-feira a “máxima prudência” aos cidadãos nacionais que se desloquem ao Estado brasileiro do Ceará, devido à insegurança que assola esta região.

“Tendo em conta a situação de insegurança que se verifica desde a madrugada do dia 02 de janeiro no Estado do Ceará, em especial na Região Metropolitana de Fortaleza, aconselha-se a máxima prudência em eventuais deslocações ao Ceará”, informa o MNE, no portal das comunidades.

Também foram dados conselhos de saúde, nomeadamente de vacinação para a febre amarela e dengue, para quem visite o Brasil nos próximos meses.

“Devido ao elevado número de casos de febre amarela recentemente registados em alguns estados do Brasil sobretudo Minas Gerais, São Paulo , Espírito Santo, Rio de Janeiro e Baía, recomenda-se aos viajantes que se desloquem a este país, antes de embarcar, que se assegurem que estão devidamente vacinados contra a febre amarela”, informa o ministério tutelado por Augusto Santos Silva.

A propósito da dengue, o MNE esclarece que foi publicado “no passado mês de março o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti — LIRAa”, que traça o diagnóstico da doença em mais de 1.800 municípios brasileiros.

“O LIRAa utiliza um índice com três níveis (Risco, Alerta, Satisfatório) que leva em consideração a percentagem de casas visitadas que tinham larvas do mosquito Aedes aegypti”, finaliza o ministério acerca do vírus dengue.

O Estado do Ceará tem sido palco de vários ataques que já levaram ao envio de vários reforços policiais para a região.

Os ataques começaram a ser registadas na noite de quarta-feira em todos os municípios que fazem parte da região metropolitana da capital estadual, Fortaleza, e visam principalmente autocarros, prédios públicos e bancos.

As autoridades investigam se os ataques são uma represália das organizações criminosas contra medidas anunciadas pelo governador do Ceará, Camilo Santana, para reformar a administração das prisões estaduais.

O Ceará foi o terceiro estado brasileiro que registou mais mortes violentas em 2017, com uma taxa de 59,1 mortes por cada 100.000 habitantes.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Boom de queixas contra agências imobiliárias

Huawei | 5G | Redes 5G

Google suspende negócios com a Huawei. Milhões de smartphones afetados

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo aconselha precaução em deslocações ao Estado de Ceará no Brasil