Coronavírus

Segurança Social contactou 670 pessoas para reforço em Reguengos. Mobilizou 35

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Ministra da Segurança Social anunciou a criação de uma linha de apoio aos lares a funcionar 24 horas por dia. Há 35 surtos ativos nos lares.

A Segurança Social contactou quase 700 pessoas para reforço de meios quando foi detetado o surto em junho, mas apenas conseguiu mobilizar 35, revelou esta quarta-feira a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

“A Segurança Social em Reguengos, logo no dia 19, mal teve conhecimento da situação, começou a mobilizar recursos humanos excecionais para conseguir ajudar a instituição a fazer face [ao surto]. Contactou 670 pessoas e conseguiu mobilizar 35 pessoas. É para percebermos a dimensão e a dificuldade”, afirmou Ana Mendes Godinho numa audição parlamentar conjunta com a ministra da Saúde, acrescentando que “há muitas situações em que só conseguimos a mobilização de voluntários, porque mais ninguém quer ir trabalhar durante um momento de surto.”

Ana Mendes Godinho anunciou que a mobilização de profissionais através do programa de apoio às instituições (MAREES) já tem cerca de “sete mil pessoas em instituições em todo o país”, indicando que “o programa foi reforçado para que os lares recorram a esta medida mesmo antes de terem surtos”.

A ministra da Saúde, Marta Temido, referiu que muitas pessoas “têm receio de ficarem doentes, porque o estigma da doença é muito grande”, assumindo que o “Estado não enjeita responsabilidades”.

A ministra revelou ainda que neste momento há 35 surtos em lares. “Temos 2.527 lares que tem 99 500 pessoas, 60% tem mais de 80 anos e neste momento temos 35 surtos ativos em Portugal”, apontou.

Linha telefónica
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social revelou ainda a criação de uma linha telefónica nacional de resposta aos lares a funcionar 24 horas por dia.

Haverá o “lançamento de uma linha telefónica sete dias por semana, 24 horas só de apoio aos lares e testagem de trabalhadores com critérios de níveis de risco em função da dimensão e do risco da situação dos lares”, anunciou Ana Mendes Godinho.

A ministra revelou ainda que já foram distribuídos aos lares mais de um milhão de equipamentos de proteção individual e que se realizaram mais de 117 mil testes.

O surto de covid-19 no lar da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, em Reguengos de Monsaraz, foi detetado em 18 de junho e provocou 162 casos de infeção e 18 mortes.

A maior parte dos casos de infeção (126) ocorreu no lar e atingiu 80 utentes e 26 profissionais, mas o surto alastrou-se e infetou também outras 56 pessoas da comunidade.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 929 mil mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 1.875 em Portugal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

Ramiro Sequeira TAP

Novo CEO da TAP diz ser vital ter “bom senso e calma” para tomar decisões

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

Segurança Social contactou 670 pessoas para reforço em Reguengos. Mobilizou 35