Greves

Magistrados do Ministério Público marcam greve para fevereiro

O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, Artur Ventinhas
( Rui Oliveira  / Global Imagens )
O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, Artur Ventinhas ( Rui Oliveira / Global Imagens )

Os moldes da greve ainda não estão definidos, mas o sindicato decidiu ainda convocar uma assembleia-geral de delegados sindicais para janeiro.

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público decretou esta quinta-feira uma greve para o início de fevereiro contra a intenção do PS e PSD de alteração na estrutura do Conselho Superior do Ministério Público, compondo-o maioritariamente por não magistrados.

A decisão foi tomada numa reunião da direção do sindicato, na qual foram discutidas medidas a tomar face à intenção parlamentar dos dois partidos que o sindicato considera pôr em causa a autonomia da magistratura portuguesa através da alteração da composição do Conselho Superior do Ministério Público.

Os moldes em que se vai realizar a paralisação dos magistrados do MP ainda não foi definida, mas a direção do sindicato decidiu ainda convocar uma assembleia-geral de delegados sindicais para janeiro para definir outras formas de luta a longo prazo.

A ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, negou esta quinta-feira que o Governo queira alterar a composição do Conselho Superior do Ministério Público e frisou que o “equilíbrio atual” do órgão é para manter.

“Não consta do programa do Governo nenhuma indicação que contemple a possibilidade de alteração da composição” do órgão, disse Francisca Van Dunem aos jornalistas, em Coimbra.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E) e o Ministro das Finanças, Mário Centeno (D) no debate na generalidade do OE2020 (Foto: PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP).

Finanças confirmam encaixe de 30 milhões com aumentos da função pública

Lisboa, 01/10/2013 - Decorreu esta tarde na Fundação Champallimaud a Assembleia Geral da Zon Optimus 
Isabel dos Santos, accionista da Zon Optimus e Mário Silva, Zopt
(Diana Quintela/Global Imagens)

Administradores da NOS envolvidos no Luanda Leaks renunciam

Tchizé dos Santos,filha do ex-presidente da República angolano. (JOÃO RELVAS/LUSA)

Irmã de Isabel dos Santos desafia empresária a devolver 75 milhões a Angola

Magistrados do Ministério Público marcam greve para fevereiro