Justiça

Mulher usa OLX e MB Way para burlar dezenas de pessoas

MB way | MBWay
(Leonel de Castro/Global Imagens)

A Polícia Judiciária de Setúbal deteve uma mulher de 29 anos suspeita de ter burlado dezenas de pessoas em mais de 50 mil euros, através de movimentos fraudulentos na plataforma MB Way, foi hoje anunciado.

Segundo um comunicado da PJ, “a investigação efetuada permitiu desmontar um esquema fraudulento de aquisição e venda de artigos diversos através da internet (OLX), que lesou dezenas de pessoas, desde fevereiro de 2018, em valores que rondam os cinquenta mil euros”.

“Após colocarem os artigos à venda no `site´ OLX, os lesados receberam no seu telemóvel uma mensagem escrita de um suposto interessado, alegando que pretendia efetuar o pagamento através da aplicação MB Way”, refere o comunicado.

Segundo a PJ, desconhecendo o funcionamento da aplicação e convencidos de que se tratava de transações legítimas, os lesados ativaram o referido serviço MB Way com o número de telemóvel e o código fornecidos pela alegada autora da burla, que assim ficou na posse dos elementos necessários para efetuar vários movimentos fraudulentos na conta bancária das vítimas.

A PJ refere ainda que, em vez do pagamento dos artigos que se propunha comprar, a mulher suspeita, que deverá ser hoje presente a primeiro interrogatório judicial, fez diversos levantamentos em numerário e débito na conta dos lesados.

A diretora de comunicação da SIBS, Sociedade Interbancária de Serviços, empresa que congrega todos os bancos que operam em Portugal, já se congratulou com a detenção da mulher suspeita da fraude cometida com recurso à aplicação MB Way, mas garante que a “plataforma é segura” e lembra que “cabe aos utilizadores a salvaguarda dos seus dados bancários”.

“Neste caso, houve um aproveitamento do desconhecimento de algumas pessoas sobre o funcionamento da plataforma MB Way, o que as levou a adicionarem um número de telemóvel que não lhes pertencia”, disse à agência Lusa Maria Antónia Saldanha.

“Adicionar um número de telemóvel de terceiros ao MB Way é a mesma coisa que publicar o código PIN do cartão multibanco num espaço público ou numa rede social na internet”, acrescentou.

Em comunicado divulgado na sequência da detenção efetuada pela Polícia Judiciária de Setúbal, a SIBS lembra também que os utilizadores “não devem adicionar, nem permitir que adicionem à sua conta ou cartão bancário, um número de telemóvel que desconhecem, quer seja através do Multibanco, quer seja através do `homebanking´”.

O comunicado refere ainda que nem as operadoras de telefone nem os bancos solicitam aos clientes, telefonicamente ou por `mail´, que adicionem à sua conta bancária um número de telemóvel e que, se tal acontecer, as pessoas devem alertar de imediato o seu banco.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-governador do Banco de Portugal (BdP), Vítor Constâncio, na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. TIAGO PETINGA/LUSA

BCP, Berardo e calúnias. As explicações de Constâncio no inquérito à CGD

Outros conteúdos GMG
Mulher usa OLX e MB Way para burlar dezenas de pessoas