Acidente

Navio cheio de Porsches e Audis que valem milhões afunda perto de França

navio
EPA/LOIC BERNARDIN / MARINE NATIONALE

O navio italiano Grande America encalhou no Atlântico. Tripulação de 27 salva, mas mais de dois mil carros que valem milhões de euros afundaram.

Só em Porsches, estão neste momento afundados em conjunto com o navio-carga Grande America, no Atlântico, mais de 6 milhões de euros. No total eram 37 Porsches novos, incluindo quatro modelos do 911 GT2 RS (que valem 368.126 euros cada), mas há ainda Audi e muitos outros veículo num total de dois mil.

O navio mercante italiano (da Grimaldi Lines) encalhou na passada terça-feira, no Oceano Atlântico, a cerca de 240 quilómetros da costa da França – a sudoeste de Brest – e acabou por afundar a uma profundidade de 15.000 pés. Fazia o percurso de Hamburgo para Casablanca e, depois, iria seguir para o Brasil, onde clientes ávidos esperavam que chegassem os seus automóveis, alguns deles verdadeiros superdesportivos de sonho.

Todos os 27 tripulantes a bordo foram resgatados a 11 de março pela Marinha britânica, a que se seguiu a limpeza do derrame de cerca de 2,2 toneladas de combustível, que se verificou como resultado do naufrágio. “Lamentamos informar que, devido a um incêndio, um navio do grupo Grimaldi, que estava a transportar o seu veículo, afundou a 12 de março de 2019”, escreveu a empresa aos seus clientes.

Os Porsches tinham saído da linha de montagem poucos dias antes e a empresa alemã já iniciou a produção de unidades para os substituir devido ao naufrágio. “Como já deve saber, a Porsche concluiu a produção do 911 GT2 RS em fevereiro de 2019 e, em circunstâncias normais, não seria possível produzir outra unidade, mas devido à natureza da situação e considerando que o senhor é um cliente leal e valioso para a nossa marca, a Porsche vai retomar a produção do GT2 RS na Alemanha em abril para lhe entregar o seu veículo em junho”, diz a empresa em comunicado.

Além do potente GT2 RS, também existiam unidades dos modelos 718 Cayman, Boxter e Cayenne. Do conjunto de veículos, ainda estavam vários modelos da Audi, como o A3, A5, RS4, RS5 e Q7, na sua maioria veículos bem acima dos 50 mil euros – é bem provável que o valor de mercado dos veículos perdidos seja superior aos 150 milhões de euros.

Os marinheiros do HMS Argyll demoraram apenas oito horas para salvar todas as pessoas a bordo do navio mercante de 28.000 toneladas no Golfo da Biscaia, depois da carga do navio de contentores repletos de carros ter pegado fogo. A tripulação a bordo do navio tentou combater as chamas, mas foi forçada a abandoná-lo, subindo para botes salva-vidas apesar das ondas de 5 a 6 metros no mar à noite.

O capitão Dave Tetchner, do HMS Argyll, explicou o que se passou à BBC: “foi muito complicado para os tripulantes, tiveram que combater um incêndio num mar terrível”. Tetchner admite que é raro ver-se navios destes porta-contentores em chamas, “foi uma visão aterradora”. Os 27 resgatados foram levados para o porto francês de Brest e, embora não tivessem ferimentos graves, alguns precisaram de tratamento hospitalar.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
light-1208275_1280

Bruxelas diz sim: Governo pode baixar IVA da luz de 23 para 6%

António Mexia, CEO da EDP. (Fotografia: Sara Matos / Global Imagens)

EDP anuncia venda ativos renováveis no valor de 800 milhões

A presidente do Conselho das Finanças Públicas, Nazaré Costa Cabral. Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA / LUSA

Conselho das Finanças elogia Centeno pelo “controlo das despesas”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Navio cheio de Porsches e Audis que valem milhões afunda perto de França