Entretenimento

Norte-americano acusado de fraude milionária com filme falso para Netflix

Netflix. (REUTERS/Wolfgang Rattay)
Netflix. (REUTERS/Wolfgang Rattay)

A suposta fraude começou em 2015, quando Joiner usou documentos e assinaturas falsas para arrecadar milhões de dólares para um filme chamado "Lendas".

Um norte-americano foi esta quarta-feira acusado de fraude ao angariar quase 13 milhões de euros de investidores chineses e sul-coreanos para um filme que seria distribuído pela Netflix.

Adam Joiner, de 41 anos, foi acusado por um tribunal de Los Angeles, na Califórnia, de fraude eletrónica, lavagem de dinheiro e roubo de identidade agravado, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DOJ, na sigla inglesa).

A suposta fraude começou em 2015, quando Joiner usou documentos e assinaturas falsas para arrecadar milhões de dólares para um filme chamado “Lendas”, que contava a história de figuras norte-americanas do século 19, como Davy Crockett e o afro-americano John Henry.

De acordo com uma declaração do DOJ, Joiner usou a empresa Dark Planet Pictures, LLC, com a qual convenceu as empresas Korean Investment Partners Co, Ltd. (KIP), Star Century Pictures Co. e PGA Yungpark Capital Ltd a investir dinheiro na produção.

A acusação indica que o alegado produtor se encontrou com o diretor da empresa coreana KIP, em 2015, e lhe terá fornecido o guião do filme, garantindo que a Netflix tinha acordado a sua distribuição.

Joiner forneceu aos investidores uma cópia do alegado acordo de distribuição com a plataforma digital e conseguiu que a KIP investisse oito milhões de dólares.

Agentes do FBI contactaram os executivos da Netflix, que supostamente teriam assinado o acordo, que negaram de imediato tê-lo feito, salientando que nunca tinham ouvido falar de um filme com o nome “Lendas”.

Com a mesma estratégia, Joiner conseguiu que a empresa chinesa Yungpark transferisse seis milhões para a Dark Plante Pictures, em junho de 2016.

Joiner alegava que figuras como o produtor Don Murphy (“Assassinos Natos”, “Transformers”) estavam a trabalhar no projeto.

Segundo o FBI, Joiner utilizou mais de cinco milhões do dinheiro arrecadado para comprar uma residência em Manhattan Beach, Califórnia, e mais de quatro milhões foram transferidos para uma conta bancária.

Joiner, que deve regressar ao tribunal em 23 de setembro, arrisca 20 anos de prisão por fraude eletrónica.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: REUTERS/Rafael Marchante

Portugal entre os países europeus que ficaram mais desiguais

Fotografia: Global Imagens

ANA corta taxas aeroportuárias e agarra Ryanair em Faro

Fotografia: Global Imagens

Cartões refeição de bancos estão irregulares

Outros conteúdos GMG
Norte-americano acusado de fraude milionária com filme falso para Netflix