Pandemia com grande impacto no stress, solidão e irritabilidade dos portugueses, revela estudo

Em Portugal, foi na saúde mental dos jovens adultos que o impacto da pandemia da covid-19 se verificou mais preocupante.

Os dados preliminares do estudo COH-FIT revelam que, em Portugal, o agravamento do stress foi particularmente significativo entre os jovens adultos (36%) e afetou um terço dos inquiridos. Também no que respeita aos níveis de solidão, esta faixa etária registou um nível desproporcionalmente elevado do agravamento deste estado quando comparado aos participantes de outras faixas etárias.

Os efeitos não terminam nos dois fatores anteriores e, em termos de irritabilidade, também cerca de um terço dos inquiridos reportou um aumento. Com um número inferior a 8% dos participantes a referir melhorias nas duas semanas anteriores à participação no estudo internacional, a maior parte relatou pequenas ou nenhumas alterações (60%).

Este projeto de investigação sobre os efeitos do isolamento social associado à covid-19 na saúde física e mental - COH-FIT - é um estudo internacional e foi coordenado em Portugal por Pedro Morgado, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da Universidade do Minho, e Sofia Brissos, do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa.

No que concerne às estratégias utilizadas pelos homens e mulheres para passar o tempo em período de confinamento, mais de 75% dos participantes admitiu um aumento do tempo de consumo de meios de comunicação social, com maior expressão nos homens (81%).

Em relação à ocupação dos tempos livres, metade dos inquiridos afirmou ter despendido mais tempo em contactos sociais, a realizar exercício físico e a obter informação sobre a covid-19.

Quando questionados sobre as estratégias utilizadas para lidar com as emoções geradas pela pandemia, as respostas da maioria dos inquiridos variou entre o contacto ou interação pessoal direta, o exercício físico ou os passeios, a utilização da internet, a procura de informação sobre a pandemia, a prática de hobbies significativos, e o trabalho, quer presencial, quer à distância.

Com os homens a afirmar que as estratégias mais eficazes foram o contacto pessoal/interação direta, exercício ou passeios, utilização da internet e um hobby significativo, destes, as mulheres apenas não referiram a parte do hobby.

Relativamente à intimidade física/atividade sexual, trata-se de uma estratégia para lidar com as emoções mais importante para os homens do que para as mulheres.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de