Coronavírus

Pandemia obriga a reforço de verbas para cantinas escolares

( Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens )
( Paulo Jorge Magalhães / Global Imagens )

O aumento é de quase 9% face ao que estava inicialmente previsto até agosto de 2022 para abranger mais escolas do continente.

O Governo reforçou a verba destinada ao fornecimento de refeições nas cantinas escolares devido à pandemia de covid-19 para este ano e os próximos dois.

“A pandemia da doença covid-19 originou vicissitudes diversas, as quais determinam a necessidade de o procedimento pré-contratual para fornecimento de refeições em refeitórios escolares abranger mais estabelecimentos de educação do continente, que os inicialmente previstos, com a consequente necessidade de alteração do valor da despesa autorizada”, refere a Resolução do Conselho de Ministros publicada esta quinta-feira, dia 21 de maio, em Diário da República.

A verba inicialmente prevista era de 53 802 475,50 euros (acrescida de IVA) e passou agora para 58 450 245,75 euros, representando um aumento de 8,6%.

O envelope financeiro é distribuído por três anos (2020, 2021 e 2022) para o período entre 1 de setembro deste ano e 31 de agosto de 2022. A verba mais elevada está prevista para o próximo ano ultrapassando os 27 500 euros. Para este ano a despesa prevista é de 11 908 euros e em 2022 de 18 952 euros.

As refeições escolares abrangem as crianças e jovens que frequentam a educação pré-escolar e os ensinos básico e secundário.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Nazaré Costa Cabral, presidente do Conselho de Finanças Públicas. (João Silva / Global Imagens)

Cenário severo em 2020. Défice nos 9%, dívida em 142%, desemprego nos 13%

O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Apoios à TAP formalizados “em breve” depois de consultas com Bruxelas

Foto: Fábio Poço/Global Imagens)

Costa promete linha para converter AL em arrendamento para jovens

Pandemia obriga a reforço de verbas para cantinas escolares