Portugal com aumento de óbitos de 11,3% em 2021 face a 2019. De covid-19 morreram 9,6% do total

Morreram em Portugal 125 032 pessoas no ano passado, mais 12 741 do que em 2019 e mais 1353 do que em 2020. O número de óbitos por covid-19 em 2021 corresponde a 9,6% do total.

Face ao ano de 2019, ainda antes da pandemia de covid-19, Portugal registou no ano passado um aumento de 11,3% de óbitos. Segundo dados divulgados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Em 2021 registaram-se 125 032 óbitos no país, mais 12 741 do que dois anos antes e mais 1353 (1,1%) do que em 2020.

O INE destaca que o número de mortes por covid-19 registado no ano passado foi 12 004, correspondendo a 9,6% do total de óbitos, e que compara com os 6972 em 2020, tendo o mês de março desse ano marcado o início da pandemia em Portugal.

"Em janeiro de 2021 registou-se o maior número de óbitos mensal desde o início da pandemia (19 671), o que representa um aumento de 65,8% (mais 7 809 óbitos) em relação ao mesmo mês de 2020. Do total de óbitos, 5 785 foram por covid-19, representando 29,4% da mortalidade em janeiro e o máximo mensal registado de óbitos por covid-19", pode ler-se no mesmo documento das estatísticas vitais. Ainda que em fevereiro seguinte a mortalidade tenha descido, os valores foram superiores aos do ano anterior. "Contudo, excluindo os óbitos por COVID-19, a mortalidade neste mês ter-se-ia situado, pela primeira vez após o início da pandemia, abaixo do valor homólogo de 2020." Já entre março e novembro, exceto em agosto, o número total de óbitos continuou a decrescer no ano passado, face a igual período de 2020.

Já em dezembro de 2021, morreram mais 947 pessoas do que no ano anterior, num total de 11 337. "Neste mês, contudo, registou-se uma redução de 12,8% por comparação com o período homólogo de 2020 (menos 1 659 óbitos). O número de óbitos por covid-19 aumentou para 518 (mais 222, relativamente a novembro de 2021), representando 4,6% do total de óbitos. Comparativamente com dezembro de 2020, registou-se uma redução de 1 877 óbitos por COVID-19", precisa o gabinete de estatística.

"Apesar da redução da mortalidade observada a partir de março de 2021 comparativamente com os mesmos meses de 2020, esta não compensou o elevado número de óbitos registados em janeiro e fevereiro de 2021", enfatiza o relatório estatístico do INE. Sendo que foi na terceira semana de 2021 (18 a 24 de janeiro) que se registou o maior número de mortes (5044) desde o início da pandemia e na quarta semana (25 a 31 de janeiro) bateu-se o recorde semanal de óbitos por covid-19 (2036).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de