Migrantes

Portugal vai acolher até 10 dos migrantes que continuam ao largo de Malta

Navio de resgate humanitário Sea Watch 3, 4 de janeiro 2019.  REUTERS/Darrin Zammit Lupi
Navio de resgate humanitário Sea Watch 3, 4 de janeiro 2019. REUTERS/Darrin Zammit Lupi

Além de Portugal, os migrantes vão ser também acolhidos pela Alemanha, França, Irlanda, Roménia, Luxemburgo, Holanda e Itália.

Portugal é um dos oitos países europeus que vão receber os 49 migrantes resgatados em dezembro por dois navios humanitários e que permanecem no mar ao largo de Malta, segundo um acordo esta quarta-feira anunciado pelo Governo maltês.

O primeiro-ministro de Malta indicou que os 49 migrantes vão ser transportados em breve por navios militares maltês para Malta e depois distribuídos por oito países da União Europeia, entre os quais Portugal.

Numa resposta enviada à agência Lusa, o Ministério da Administração Interna (MAI) indica que Portugal “respondeu, mais uma vez”, ao apelo da Comissão Europeia e manifestou disponibilidade para acolher até 10 migrantes.

O acordo esta quarta-feira anunciado pelo Governo de Malta põe fim a um impasse que começou depois de 32 migrantes terem sido resgatados pelo navio humanitário alemão Sea-Watch, em 22 de dezembro, a que se seguiu o resgate de outras 17, em 29 de dezembro, por outro barco humanitário alemão, o Sea-Eye.

Malta e Itália recusaram que navios de resgate privados desembarcassem migrantes nos seus portos.

Em vez disso, o acordo prevê que os migrantes sejam transportados, em breve, por embarcações militares maltesas até Malta, mantendo-se a proibição dos barcos particulares atracarem.

Além de Portugal, os migrantes vão ser também acolhidos pela Alemanha, França, Irlanda, Roménia, Luxemburgo, Holanda e Itália.

O Ministério da Administração Interna adianta que “a disponibilidade resulta do compromisso de solidariedade e de cooperação europeia” assumido por Portugal em matéria de migrações, tendo o país respondido “a todas as situações de emergência que resultam do resgate de migrantes no Mediterrâneo” e participado “solidariamente no processo de acolhimento”.

No entanto, Portugal defende “uma solução europeia integrada para responder ao desafio dos fluxos de migrantes que procuram chegar à Europa através do Mediterrâneo”, salienta o MAI

Em 2018, Portugal acolheu 86 pessoas na sequência de resgates de navios humanitários.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves, CEO da TAP Air Portugal. Foto: REUTERS/Regis Duvignau

TAP com prejuízos 118 de milhões em 2018

Roman Escolano, ministro da Economia de Espanha, Mario Draghi, do BCE, e Mário Centeno. Fotografia: REUTERS/Yves Herman

Portugal ainda satisfaz pouco nas reformas estruturais, mas supera nota da UE

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução e vice-governador do Banco de Portugal.

Banca só pagou 20% dos custos do Fundo de Resolução

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Portugal vai acolher até 10 dos migrantes que continuam ao largo de Malta