PSD

Rui Rio assume recandidatura no PSD para “evitar grave fragmentação”

EPA/TIAGO PETINGA
EPA/TIAGO PETINGA

O atual presidente do PSD vai recandidatar-se à liderança para "evitar grave fragmentação" do partido e assume também a liderança da bancada

“A minha disponibilidade para servir o PSD e, por seu intermédio, Portugal. É demasiado importante para que a minha decisão possa ser outra. Estou disponível para liderar o PSD e conduzir o partido nas próximas eleições autárquicas”. Foi desta forma que Rui Rio anunciou em conferência de imprensa a sua recandidatura ao partido.

Rio, que liderou o partido na pior votação das últimas décadas nas Eleições Legislativas 2019, vai enfrentar as eleições internas e disputar a liderança com Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz no próximo Congresso Nacional em fevereiro.

“A minha não recandidatura pode levar o partido a uma grave fragmentação de consequência imprevisíveis para o seu futuro. O PSD precisa de uma liderança que impeça que se transforme numa força partidária vazia”, alerta o atual líder dos sociais-democratas.

Rui Rio anuncia também que vai assumir a liderança da bancada parlamentar do PSD, pelo menos até ao congresso e indica que se a decisão “fosse apenas pessoal, não iria assumir a recandidatura”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Rui Rio assume recandidatura no PSD para “evitar grave fragmentação”