Web Summit: Evento "mudou a vida" da empresa portuguesa Codacy -- Fundador

O fundador da empresa portuguesa Codacy, responsável por uma plataforma 'online' de análise de código, disse hoje que vencer o 'pitch' na cimeira de tecnologia e empreendedorismo Web Summit há três anos mudou "a vida" do projeto.

O fundador da empresa portuguesa Codacy, responsável por uma plataforma 'online' de análise de código, disse hoje que vencer o 'pitch' na cimeira de tecnologia e empreendedorismo Web Summit há três anos mudou "a vida" do projeto.

"Como costumo dizer, o 'pitch' mudou a nossa vida. Tivemos uma apresentação incrível e tem sido uma jornada ótima de crescimento, de novas pessoas a juntarem-se à equipa, de novos investidores e novos clientes e tem sido um momento muito marcante para nós", disse Jaime Jorge, que falava à agência Lusa na Web Summit, que decorre no Parque das Nações, em Lisboa.

Frisando que o evento "foi determinante" para a empresa, Jaime Jorge assinalou que, em 2014, a Codacy estava presente em 600 cidades, tinha perto de 4.000 programadores a usar a plataforma e 10 membros na equipa.

Hoje em dia, depois de ter vencido o 'pitch' -- concurso de apresentações curtas feito pelas 'startup' visando investimento -- a Codacy opera em 6.000 cidades, tem 60 mil utilizadores e 28 pessoas a trabalhar na empresa, notou.

O número de funcionários justifica-se pelo "potencial muito elevado de cada pessoa poder alavancar e poder servir o mundo todo a partir daqui de Lisboa", referiu Jaime Jorge.

"Temos tido muito proveito" da Web Summit, reforçou.

Por essa razão, a Codacy continua "a estar por cá" pelo evento, mas com uma abordagem diferente.

"Nós tínhamos um pouco mais 'feed' com empresas mais maduras e vínhamos cá e experimentávamos", mas, na edição deste ano, "estamos aqui mais a falar com as pessoas, a falar com as empresas, um bocadinho mais informal", indicou o fundador da companhia.

Quanto ao atual posicionamento da empresa, Jaime Jorge referiu que a Codacy está "num ponto de crescimento muito interessante, não só de equipa, mas também de produto".

"O nosso objetivo a médio e longo prazo é ser o número um na automação de qualidade no mundo. Temos evidências do que nos estamos a tornar, mas queremos consolidar essa posição e todas as medidas que vamos tomar agora é para nos tornarmos líder de mercado", adiantou.

Este ano, o patrocinador do 'pitch' é a Mercedes Benz, que garante à 'startup' vencedora um prémio de 50 mil euros e o acesso ao programa de incubação promovido pelo fabricante alemão de automóveis.

Segundo a organização, nesta segunda edição do evento em Portugal, participam 59.115 pessoas de 170 países, entre os quais mais de 1.200 oradores, duas mil 'startups', 1.400 investidores e 2.500 jornalistas.

A cimeira tecnológica, de inovação e de empreendedorismo nasceu em 2010 na Irlanda e mudou-se em 2016 para Lisboa por três anos, com possibilidade de mais dois de permanência na capital portuguesa.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de