À procura de boas ideias? Siga as dicas para o brainstorming perfeito

Reunir-se com gente diferente para trocar ideias é ponto de partida para inovação. Mas há mais.

Diz-se que, para ter as melhores ideias é preciso juntar pessoas que sejam o mais diferentes possível: estudos distintos, percursos alternativos, experiências de trabalho díspares, assim como o feitio.

O que ainda não se sabia era que, além destas diferenças, é preciso mais para garantir que as melhores ideias surgem em contexto de brainstorming, uma espécie de encontro organizado especialmente para trocar ideias, sem limites de criatividade ou imaginação.

Leia mais: Nó no cérebro: o que mostra esta imagem?

Um estudo veiculado pela Wharton School, da Universidade da Pennsylvania, assegura que, além da diversidade, é indispensável outro fator para garantir ideias verdadeiramente inovadoras e com o maior valor económico. A investigadora Sarah Kaplan assegura que a diversidade não é suficiente: o que também é essencial é um nível aprofundado de conhecimento sobre o tema em discussão.

"Descobrimos que este é apenas um processo criativo e que existem outros que podem desencadear inovação disruptiva. Descobrimos que diferentes tipos de criatividade contribuem para um enriquecimento do espaço de conhecimento", explica a investigadora.

Leia também: Como conseguir trabalhar com alguém que odeia

O estudo foi realizado através da análise de patentes registadas a partir de investigações no campo da nanotecnologia, já que se tratam de campos emergentes que criaram novas ideias nos últimos 20 anos. "Descobrimos que apenas algumas patentes que tinham iguais níveis em termos de conhecimento e alto impacto em termos de valor económico, que são as patentes mais valorizadas". Apenas 1% do total das patentes analisadas correspondia a estas duas variáveis, acrescenta Sarah Kaplan.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de