Automação pode ajudar a criar mais emprego a nível mundial

Até 2030, a procura por capacidades humanas, sociais e emocionais, vai aumentar 22% em todos os setores nos países europeus.

A automação dá cartas no mundo, mas será que esta vaga de inteligência artificial vai roubar os empregos às pessoas? Desengane-se. Um estudo da ManPower Group revela que, se por um lado existem profissões que poderão entrar em desuso, a procura na Europa por capacidades humanas, sociais e emocionais vai aumentar 22% em todos os setores, até 2030.

Várias organizações, a nível mundial, revelam que estão cada vez mais a criar empregos onde as características humanas são cruciais, transferindo algumas tarefas para robôs. O número de empresas com intenções de contratar mais colaboradores devido ao impacto da tecnologia subiu de 83% para 87% nos últimos três anos.

A mesma análise acrescenta ainda que, 24% dessas organizações pretendem criar mais empregos nos próximos dois anos, 6% mais do que aquelas que não têm intenções de automatizar parte dos processos.

“A confiança nos processos de automação está a aumentar em todo o mundo: 35 dos 44 países em análise mostraram intenções de aumentar em vez de reduzir a força de trabalho. Isto só vem provar que os robôs estão a influenciar positivamente a produtividade, sendo cruciais para o crescimento das empresas", afirma Rui Teixeira, managing director da Manpower Group Solutions, citado em comunicado.

Leia também: “Os robôs são já o presente e vão ser ainda mais o futuro”

Numa altura em que o mercado exige novas competências, Rui Teixeira salienta que “a digitalização veio para ficar", pelo que é importante "influenciar os trabalhadores a encontrarem as competências certas e encorajá-los a adotar as novas tecnologias".

O estudo "Human Wanted: Robots Need You" foi realizado em 44 países, incluíndo Portugal, junto de 19 mil empregadores.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de