Em vez de um MBA, porque não um master em aventuras?

A Nova SBE lança este mês o Adam's Choice, um programa para executivos diferente do habitual, e que incorpora conceitos do Master in Life Adventures de Catarina Holstein.

Licenciou-se em Gestão e Administração de Empresas na Universidade Católica, fez o mestrado em Marketing e, um ano e meio antes de o terminar, já tinha contrato assinado com a multinacional Unilever, que a levaria a trabalhar na Holanda e no Reino Unido nos seis anos seguintes. Mas este percurso exemplar daria uma reviravolta, logo após Catarina Holstein ter sido promovida, conseguindo uma equipa própria para gerir. "Em 2017 tomei a decisão de me despedir, despendi dois anos neste processo de tomada de decisão", explica. "E depois há um dia em que estou a fazer scroll no Instagram, e aparece-me uma quote - eu sou fã de quotes, podem ser muito cliché, mas se nós as enchermos de significado não são - que dizia: "The day I changed was the day I quit trying to fit into a world that never really fit me", recorda.

"Aprendi imenso, a Unilever abriu-me portas para o mundo, mas a questão é como é que eu cheguei até lá... E eu cheguei até lá seguindo muito este modelo standard de sucesso: saio da escola secundária, vou imediatamente para a universidade, acabada a licenciatura vou logo fazer o mestrado, saio do mestrado, já tenho que ter trabalho". O resultado, aponta, é que "nunca parei para pensar o que é que realmente gostava de fazer, em que áreas é que gostaria realmente de trabalhar. Vim mais tarde a perceber que a minha grande área de paixão, onde eu acredito que posso pôr todos os meus talentos a render, é a educação."

A resposta não foi imediata: "Tinha aquela dúvida sobre o que iria efetivamente fazer, e depois tive esta ideia de fazer um MLA [Master in Life Adventures] em vez de um MBA [Master in Business Administration]. E um MLA é um programa de desenvolvimento pessoal, à minha medida, em que vou aprender o que eu quero, durante o tempo que eu quero, onde eu quero, usando o mundo como enorme sala de aula".

Catarina Holstein andou um ano a viajar com as suas poupanças, começando pela Índia, e entre as muitas experiências pelas quais passou, aprendeu meditação com taças tibetanas, em Goa. Mal sabia ela, na altura, que viria a aplicar essa meditação em programas de formação de executivos de uma das escolas de Economia e Gestão mais conceituadas do país - a Nova SBE.

No regresso a Portugal, Catarina acabaria por dar, em maio de 2019, uma TEDx Talk na Universidade de Lisboa. "O que é que eu pensei: eu não posso só ir lá contar a minha história, é interessante, pode ser inspiradora, mas as pessoas vão estar a ouvir-me durante 20 minutos e eu quero que elas saiam de lá com algo, com algum tipo de ferramenta. E muito com esse sentido de missão de lhes dar algo, fiz uma desconstrução de tudo aquilo que tinha vivido nos últimos anos, para perceber todo o processo pelo qual tinha passado. E acabei por desenvolver um modelo de desenvolvimento pessoal."

É um MLA, composto por quatro etapas, que depois se decompõem em diferentes passos, que apresentou no TEDx. "Mas as pessoas acabaram por querer mais, quase um mapa de processo. Então acabei por desenvolver depois uma metodologia".

Do MLA ao Adam's Choice


Uma das coisas que Catarina Holstein tinha no seu MLA pessoal era conhecer Laurinda Alves - "trabalhava muito esta temática do propósito e tinha a Academia do Propósito aqui na Nova" - e assim fez. Apanhou-a numa conferência e "em cinco minutos fiz um elevator pitch, disse-lhe que tinha este projeto, que gostava muito de o apresentar, e acabámos por combinar um almoço e mandei-lhe o link da TEDx Talk".

Foi assim que entrou em contacto com Pedro Brito, Associate Dean e Executive Director for Executive Education & Business Transformation da Nova SBE. "Quando apresentei o MLA ao Pedro, ele viu um match imediato com o conceito do Adam's Choice. Porque eu fiz uma viagem pelo mundo, mas aquilo que eu realmente fui fazer foi uma viagem de profundo autoconhecimento. E o Adams Choice, acima de tudo, o que propõe é esta viagem de autoconhecimento".

Destinado a quadros médios e superiores das empresas, o que torna este programa diferente de um outro qualquer na área de desenvolvimento pessoal, explica a diretora do programa, é que "estamos enquadrados numa universidade. O Adam"s Choice é pioneiro nesse sentido, porque nós temos muitos programas de desenvolvimento pessoal, mas se calhar noutros contextos, não no universitário e não numa escola de Gestão. Acho que uma escola de Gestão reconhecer a importância que é o autoconhecimento na liderança é um passo enorme".

Adam's Choice Saber decidir bem também se aprende

O nome remete para a figura de Adão e a escolha primordial. O desafio proposto aos participantes do Adam"s Choice, diz Catarina Holstein, "é, ao longo da jornada, desenvolverem a sua própria metodologia individual de escolha. Nesta lógica de ajudar as pessoas a fazer melhores escolhas neste contexto tão complexo em que vivemos". Uma espécie de Choosenology, "assente no princípio de que eu sou um ser único e integrado, com seis dimensões: física, emocional, espiritual, intelectual, social e ocupacional". O programa arranca dia 21 deste mês e decorrerá em modelo híbrido ao longo de 12 semanas. Conta, no lançamento, com a participação de Barry Schwartz, cuja TED Talk "The paradox of choice" é uma das mais vistas de sempre.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de