Imobiliário

Ombria Resort mantém projeto em Loulé e compradores

Julio Delgado, CEO do Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)
Julio Delgado, CEO do Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Julio Delgado, CEO do Ombria Resort, conta como foi feito e está a correr o projeto em Loulé, melhor projeto residencial sustentável em Portugal.

Em entrevista ao Dinheiro Vivo, Julio Delgado, CEO do Ombria Resorts, conta que o negócio está a avançar, apesar da crise pandémica de covid-19. E garante que o interesse dos investidores se mantém, mesmo que seja preciso adiar visitas presenciais.

A ideia de construir este projeto tem 20 anos. Por que razão decidiram avançar agora?

O Ombria Resort estende-se por 153 hectares e desde o início planeámos construí-lo em três fases. Iniciámos a primeira fase em 2014 com a construção das infraestruturas (já terminadas), seguido do campo de golfe, cuja construção iniciou em 2017 e que terminou em 2019. A primeira fase compreende ainda um loteamento com 12 moradias e o Viceroy Hotel & Viceroy Residences, um hotel de 5 estrelas com 76 quartos e 65 apartamentos, um centro de conferências, golf clubhouse, spa, piscinas, 5 restaurantes, kids club, cuja construção começou em dezembro.
Assim, em janeiro de 2020 decidimos avançar com o lançamento da comercialização da primeira fase de imobiliário: as Viceroy Residences – 65 apartamentos turísticos T1 e T2 geridos pela cadeia americana Viceroy Hotels & Resorts e as Villas Alcedo – 12 moradias residenciais de luxo. O timing que acabei de descrever teve a ver com questões burocráticas e emissão das respetivas licenças de construção ao longo dos anos. Acreditamos desde o início que esta localização é única e que podemos ser um fator de desenvolvimento local para o Algarve.

Estas são as primeiras Viceroy Residences na Europa. Onde mais estão e porque escolheram Portugal para a estreia europeia?

Atualmente, existem Viceroy Residences em mais três localizações: em Snowmass (Colorado, EUA), em Los Cabos (México) e em Sugar Beach (Saint Lucia, Caraíbas). Também estão em construção Viceroy Residences em Bocas del Toro (Panama) e em Rabat (Marrocos), planeadas para abrir em 2022. As Viceroy Residences at Ombria Resort serão as primeiras branded residences desta marca na Europa e serão certamente um sucesso pois são um conceito imobiliário que tem tido grande procura internacionalmente. A chancela da Viceroy, uma cadeia de hotéis de luxo modernos e que refletem a cultura local, torna o produto ainda mais apetecível.

O que motivou escolha do local – Loulé, mas longe da praia?

Foi o fundador do Grupo Pontos, Ilpo Kokkila, que há 20 anos se apaixonou por esta localização do barrocal algarvio, num vale com ribeiras e entre colinas verdejantes e aldeias típicas como Querença e Tôr. Está a menos de 20 km das praias e do aeroporto de Faro e tem a vantagem de estar muito perto de Loulé, uma cidade com boas infraestruturas, muita oferta cultural, de restauração e de comércio. Para pessoas que procuram a tranquilidade e a autenticidade aliada à boa acessibilidade, deve ser um dos melhores sítios em Portugal para se ter uma primeira ou segunda habitação. A baixíssima densidade de construção é uma das grandes vantagens do Ombria Resort. A integração na natureza e o ar puro que aqui se respira são fatores que estou certo farão muitos outros também se apaixonarem por este lugar.

Têm já cerca de um quarto das 65 Viceroy Residences vendidas. Quais são as principais nacionalidades dos compradores?

Os compradores das primeiras 15 unidades provêm de quase dez nacionalidades diferentes, incluindo portugueses, franceses, holandeses, belgas, britânicos, suíços, escandinavos e outros de fora da Europa.

O ritmo abrandou com esta crise ou a construção e comercialização vão manter os prazos desenhados?

A construção mantém-se nos prazos previstos, ou seja a primeira fase do resort, que inclui as Viceroy Residences, o Hotel Viceroy e todas as estruturas de apoio, como clubhouse do golfe, restaurantes e piscinas, estará pronta no início de 2022.
Naturalmente implementámos todas as recomendações do governo e da DGS e aplicámos medidas adicionais como diminuir o número de trabalhadores em cada um dos locais de construção. A nossa maior prioridade é garantir a segurança de todos os trabalhadores.
Estamos a fazer uma forte aposta em campanhas online que estão a gerar diversos pedidos de informação a que respondemos por email, telefone ou Skype. Temos também uma app única no mercado, que contém toda a informação sobre os imóveis que se encontram à venda no Ombria Resort e que permite aos nossos consultores de vendas fazer visitas virtuais com os clientes através de videoconferência.

 Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Mas houve adiamento de compras?

Claro que tivemos que adiar algumas visitas e a assinatura de alguns contratos de promessa de compra e venda, pois nesta altura de estado de emergência alguns dos nossos clientes não podem viajar. Mas a maioria dos contactos que mantemos está confiante que após este período agudo a economia mundial vai retomar o seu ritmo normal. O investimento imobiliário no Ombria Resort continua a ser interessante, o produto que estamos a comercializar neste momento, as Viceroy Residences, é apelativo para os investidores por diversos motivos, que vão da qualidade ao retorno do investimento feito.

Quais são os preços médios praticados nos apartamentos e nas moradias?

As Viceroy Residences têm valores de comercialização que começam nos 368 mil euros (este valor inclui a mobília e todos os equipamentos), com áreas entre os 70 e os 173 metros quadrados, excluindo varandas e jardins. Algumas destas branded residences terão também uma piscina privada ou um jacuzzi.
Os preços para as Villas Alcedo, que são moradias de luxo personalizáveis, começam
nos 2 550 000euros€.

Para quem compra, isto também pode ser um investimento. Como funciona a modalidade de arrendamento?

As Viceroy Residences são apartamentos turísticos de luxo da marca Viceroy Hotels & Resorts, que assegura todos os aspetos da gestão de propriedade e dos arrendamentos, o que as torna investimentos imobiliários muito interessantes. Durante os primeiros cinco anos da operação, o proprietário recebe um retorno garantido mínimo de 5% sobre o valor do investimento, calculado sobre o preço do apartamento, independentemente do valor efetivo que é gerado pelos alugueres. Os 5% de retorno são líquidos antes de impostos, ou seja, representam o valor do retorno após serem deduzidas todas as despesas de gestão e de manutenção do apartamento. Temos confiança na marca Viceroy e no elevado potencial de rendimento de aluguer destes apartamentos e é por isso que garantimos este retorno.
Além disso, cada proprietário pode utilizar o seu apartamento até um máximo de 70 dias por ano. Durante esse período, o proprietário pode usufruir de todos os equipamentos do hotel Viceroy, como o spa e a sua piscina interior, piscinas exteriores ou os cinco restaurantes.

E na fase seguinte?

Depois dos primeiros 5 anos, os proprietários recebem o valor efetivo líquido gerado pelos alugueres. O rendimento de aluguer de cada unidade é calculado com base nos períodos que esse apartamento esteve disponível para aluguer, através de um sistema de rental pool. A vantagem deste sistema é ser justo para todos os proprietários, não afetando o rendimento de nenhum proprietário se o seu apartamento específico tenha sido alugado a um hóspede ou não. O proprietário recebe rendimento de aluguer desde que o apartamento esteja disponível para ser alugado, ou seja, desde que não esteja a ser utilizado pelo seu proprietário. Por esta razão, a rentabilidade efetiva a partir do sexto ano pode variar de apartamento para apartamento, dependendo do tempo que cada proprietário usa a sua Branded Residence (dentro do máximo de 70 dias por ano) e da época do ano em que o faz.

Quando o Ombria Resort estiver a funcionar em velocidade de cruzeiro, o que esperamos aconteça após três a cinco anos, esperamos uma rentabilidade efetiva líquida em torno dos 5%. Esta expectativa é, na verdade, bastante conservadora, pois 5% corresponde a entre 45% e 50% de ocupação média ao ano, o que é realista, desde que o crescimento do turismo e as condições económicas se mantenham no médio a longo prazo. É importante notar que a Viceroy Hotels & Resorts é incentivada a captar ocupação para as Branded Residences pois a sua remuneração também depende dessa ocupação e do lucro que a operação dos apartamentos gera. Ou seja, todas as entidades envolvidas têm interesse no sucesso financeiro e na ótima performance dos alugueres das Viceroy Residences.

O projeto faz lembrar, pelas suas características inovadoras, a Quinta do Lago, que foi revolucionária. Que revolução se propõem fazer aqui e neste momento?

A qualidade das infraestruturas, a integração do design na paisagem e a gestão hoteleira assegurada pela Viceroy, uma marca de luxo internacional, aliada ao conceito e design de baixa densidade de construção, utilização de energias renováveis como a solar e geotermal, certificação energética e ambiental, responsabilidade social, respeito pelo ambiente e tradição local, interação com os membros da comunidade local e uma conexão com a natureza são os fatores-chave que tornam este projeto revolucionário, de facto, sem muitas comparações possíveis com outros empreendimentos do país. A densidade total de construção do Ombria Resort é extremamente baixa – aproximadamente 3,5% – o que, quando comparado com projetos semelhantes, faz com que seja uma das mais baixas da Europa.

Escolheram para as obras uma empresa do Norte, a Gabriel Couto. Porquê?

A Gabriel Couto é uma empresa que nos transmite muita confiança, com um portefólio de obras concluídas muito sólido. Com um portefólio diverso, a construtora apresenta projetos como o Hotel Vila Galé Sintra, de 5 estrelas, o Hotel Torel Avantgarde, de 5 estrelas, o MAR Shopping Algarve, o Hospital de Faro, entre muitos outros. A capacidade de cumprir prazos respeitando todos os padrões de qualidade e segurança que exigimos foram alguns dos principais fatores para escolhermos esta empresa.

 Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Este projeto foi considerado no ano passado o melhor projeto residencial sustentável em Portugal. Como é que se junta esta consciência ambiental com o golfe, que tantas vezes é mal visto pelos ambientalistas?

Gostaria de focar a sustentabilidade que é de facto a grande prioridade do Ombria Resort. A sustentabilidade e o respeito pelo meio ambiente são fatores-chave que estiveram presentes desde o desenvolvimento do conceito e design do projeto e continuarão a ser o fio condutor ao longo da construção e operação do Ombria Resort.
O princípio fundamental do projeto é que todo o espaço de terreno seja sustentável e respeite os valores ambientais através da implementação de um resort de alta qualidade (turístico e residencial) que seja atrativo tanto para proprietários / investidores imobiliários como turistas / hóspedes do hotel ou dos apartamentos e moradias.

Há uma grande preocupação ambiental na construção?

A nossa filosofia, que se resume na expressão “Carved by Nature”, tem como prioridades a sustentabilidade, o meio ambiente e o apoio à natureza e património local e pretende ser um fator de desenvolvimento sustentável, de contribuição para a redução da sazonalidade no Algarve e na criação de novas oportunidades para a população local através da criação de novos empregos numa região de baixa densidade populacional.
O projeto inclui também a instalação de um inovador sistema de geotermia de baixa profundidade que vai contribuir para uma redução significativa das emissões de CO2 e que já é um case study a nível nacional. Bombas de calor reversíveis irão utilizar a diferença entre a temperatura do ar e a temperatura estável do solo como principal fonte de energia para controlo climático (produzir aquecimento no inverno e frio para refrescar no verão), fornecimento de água quente, aquecimento de piscinas e para aquecer a água ao longo de todo o ano, com segurança e responsabilidade.
A arquitetura bioclimática, inovadora e tradicional, permite que a energia seja conservada sempre que possível, com o calor ganho ou perdido através de materiais com baixos coeficientes de transferência de calor e saberes seculares para proteger do sol. Outros projetos sustentáveis inovadores do Ombria Resort incluem um programa abrangente de reciclagem, pontos de carregamento de veículos elétricos e a conservação ou cultivo da flora e fauna locais.

 Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

Ombria Resort (Fotografia cedida pelo OR)

E o golfe?

A construção do campo de golfe do Ombria Resort foi apoiada por uma das mais reputadas entidades de certificação ecológicas no mundo: a GEO Foundation. Temos uma redução significativa da área de relva plantada (relativamente à média de outros campos), mantivemos grande parte da flora autóctone nas áreas adjacentes aos fairways, escolhemos tipos de relva de acordo com as condições climatéricas e do terreno. Para diminuir o consumo de água temos sistemas de monitorização da humidade, aproveitamento das águas das chuvas, entre outras medidas.

O investimento total previsto é de 260 milhões de euros, investimento finlandês, sendo nesta primeira fase adjudicados 100 milhões para 2022. O que se inclui neste bolo?

Sim, o investimento previsto é de cerca de 100 milhões de euros para esta primeira fase, que inclui também o centro de conferências e a clubhouse do campo de golfe, e mais de 160 milhões as seguintes fases. Queremos contribuir para o desenvolvimento do país e da região, e ajudar a economia particularmente do interior algarvio onde se insere o Ombria Resort. Este é um projeto muito querido pelo Grupo Pontos, por ter tantas valências para a comunidade em que se insere, como por ser um projeto pioneiro em termos energéticos para Portugal e por estar inserido numa paisagem incomparável.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa e Silva, responsável pelo plano para a economia nacional nos próximos dez anos.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Plano de Costa Silva. As bases estão lá, falta garantir boa execução

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Risco de austeridade? “Depende de como evoluir a economia”

Filipe Santos, dean da Católica Lisbon Business and Economics ( Pedro Rocha / Global Imagens )Filipe Santos
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Filipe Santos: Há um conjunto de empreendedores que vai continuar

Ombria Resort mantém projeto em Loulé e compradores