Mobi Summit

Grande cimeira da mobilidade vai percorrer o país

Apresentação do Portugal Mobi Summit, Cacais 2019, esta tarde na sede da Nova SBE.
Carlos Carreiras e Vera Pinto Pereira
( Gustavo Bom / Global Imagens )
Apresentação do Portugal Mobi Summit, Cacais 2019, esta tarde na sede da Nova SBE. Carlos Carreiras e Vera Pinto Pereira ( Gustavo Bom / Global Imagens )

Leis para os carros autónomos e soluções de carregamento elétrico foram ideias deixadas no lançamento do Portugal Mobi Summit 2019.

O governo quer ter, no espaço de alguns meses, um conjunto de recomendações sobre o enquadramento legal dos testes à circulação de veículos autónomos. “Até ao verão, espero ter um conjunto de propostas do grupo de trabalho”, anunciou José Mendes, secretário de Estado adjunto e da Mobilidade, durante o lançamento do Portugal Mobi Summit 2019, o maior evento de mobilidade de Portugal, que decorreu nesta semana na Nova SBE (School of Business and Economics), em Carcavelos.
“Serão áreas limitadas, segregadas em algumas horas do dia”, explicou o governante. A ideia é “sermos capazes de lançar a regulamentação necessária para termos testes em espaço público, em condições reais de circulação”. Tendo esta fase completa, José Mendes acredita poder atrair projetos de mobilidade autónoma para o país. “Os especialistas estimam que dentro de 5 anos vejamos veículos autónomos a circular”, disse.

Na edição de 2019 do Portugal Mobi Summit estão previstos “debates ao longo do ano em diferentes regiões do país”, adiantou o CEO do Global Media Group, Victor Ribeiro. Uma nova ambição pilotada pelo Global Media Group e apoiada por novos parceiros. Além da EDP Comercial, Via Verde e Câmara Municipal de Cascais – que renovam o compromisso – vai ter o apoio da Fidelidade e do CEIIA.
Entre abril e junho, estão previstas três sessões em diferentes cidades, com a cimeira internacional a decorrer nos dias 24 e 25 de outubro, na Nova SBE. Daniel Traça, dean desta escola, espera que a cimeira não seja apenas um evento a acontecer numa sala do novo campus frente à praia, “mas que toda a escola viva esta festa da mobilidade e da sustentabilidade”, porque “esta é uma escola do futuro que quer contribuir com soluções”.

Franco Caruso, diretor de Relações Institucionais da Brisa, notou que a experiência e as evidências produzidas pela Brisa mostram que “é preciso transformar a mobilidade”. Já a expectativa de João Carlos Mateus, diretor de relações institucionais do CEIIA, um centro de inovação para a indústria da mobilidade, nascido em 1999, é que o evento venha a projetar a imagem de Portugal cá dentro e lá fora.
Como fazer chegar as novas soluções de mobilidade a todos e em todos os pontos do país? “Não se deixa ninguém para trás”, afirmou José Mendes, defendendo que “as pessoas devem poder aceder à mobilidade a um custo que possam suportar”. É neste contexto que surge a redução do preço dos passes de transporte em todo o país, mais precisamente nos 18 concelhos da Área Metropolitana de Lisboa. A partir de 1 de abril, o passe social custará no máximo 40 euros. As crianças até aos 12 anos não pagam e, por família, o pagamento total máximo é de 80 euros (inclui dois passes). Uma iniciativa que visa reduzir o número de carros que entra diariamente em Lisboa.

Com lançamento previsto para o próximo mês, está a oferta de dois novos passes em Cascais: o passe municipal e o passe para a área metropolitana de Lisboa. Carlos Carreiras, presidente da Câmara Municipal de Cascais, destacou esta inovação que está prestes a chegar aos residentes da smart city Cascais. Por 30 euros, o passe municipal dá acesso ao comboio e a todos os meios disponíveis em Cascais, como as bicas (bicicletas partilhadas) e o carsharing (automóveis partilhados). Já o passe metropolitano custa 40 euros e dá acesso a todos os meios de transporte de Cascais e Lisboa.
Pela EDP Comercial, a CEO Vera Pinto Pereira enunciou uma nova solução de carregamento e gestão do consumo de veículos elétricos para as casas dos clientes particulares e para condomínios, que está a ser testado em Lisboa e Porto. A aposta da empresa prossegue ainda nos postos de carregamento públicos. Através de uma parceria com a BP, a EDP inaugurou nove postos de carregamento de veículos elétricos nas suas estações de serviço. Vera Pinto Pereira observou que há uma vontade dos clientes em diminuir a pegada de carbono, ter mais mobilidade partilhada e ter uma experiência digital intuitiva, e afirmou que a EDP está focada em oferecer esses serviços.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
Grande cimeira da mobilidade vai percorrer o país