ACEPI

Alexandre Nilo Fonseca: Evento de “inspiração” para a transformação digital

Alexandre Nilo Fonseca, presidente da ACEPI. 
(Sara Matos/ Global Imagens)
Alexandre Nilo Fonseca, presidente da ACEPI. (Sara Matos/ Global Imagens)

A Portugal Digital Summit volta para mais uma edição na próxima semana e terá a Alemanha como país convidado. Em debate estarão os melhores modelos de negócio para a era digital.

O presidente da ACEPI- Associação da Economia Digital, Alexandre Nilo Fonseca, antecipa o programa da Portugal Digital Summit, que decorre no âmbito da Portugal Digital Week, que se prolonga de 21 a 25 de outubro.

Mais uma edição da Portugal Digital Summit e pela primeira vez com quatro palcos. Quais serão os temas fortes?
Cada palco tem uma abordagem temática distinta e cada um terá necessariamente audiências diferentes. No palco Strategy for Digital vamos ter logo a abrir, no dia 22 de outubro, pelas 09.00, a presença do ministro Pedro Siza Vieira, que anteriormente já tinha a pasta da Economia e que agora passa a ministro de Estado e a ter a importante pasta da Transição Digital – há já uma grande expectativa em relação a este primeiro discurso do ministro e em relação a esta nova pasta. Este palco tem como tema central a transformação digital dos países, das empresas e das pessoas e destina-se essencialmente a gestores e responsáveis de empresas ou de organismos públicos que procuram inspiração, boas práticas e novas abordagens à transformação digital – cada um dos pai-néis deste palco é temático com foco em temas como os novos modelos de organização e novas competências, novos serviços e produtos, desenvolvimento de empresas ágeis e de uma nova geração de marcas. Vale ainda a pena destacar a aguardada apresentação de Wijnand Jongen, autor do livro The End of Online Shopping, no dia 23 pelas 09.00. O palco Industries Going Digital tem uma abordagem temática semelhante à que referi sobre o palco Strategy for Digital , mas a abordagem é diferente, pois é feita pelos dez setores de atividade mais dinâmicos.

Os outros dois palcos fazem uma abordagem mais tecnológica?
O palco Digital Marketing & Sales destina-se aos profissionais de marketing, vendas e customer experience que pretendam conhecer as tecnologias, modelos de negócios e serviços mais inovadores em áreas como e-commerce, marketing, publicidade, vendas e lojas. Já o palco Tech Talks terá tutoriais e casos práticos de utilização das mais relevantes e inovadoras tecnologias digitais, nomeadamente interfaces e plataformas, inteligência artificial, automação entre outros, e destina-se aos profissionais que pretendam conhecer mais tecnologias em que assenta a transformação digital.

Há alguma novidade neste ano?
Os participantes no Portugal Digital Summit podem planear e melhorar a sua experiência no evento bastando para tal instalar a app oficial do evento disponível para Android e iOS. É possível desde já consultar a agenda dos mais de 40 painéis em quatro palcos; marcar as sessões favoritas; conhecer as biografias dos mais de 160 oradores, acompanhar a cobertura mediática do evento e até enviar mensagens para outros participantes.

No ano passado tiveram mais de três mil pessoas na conferência. O que esperam neste ano?
A nossa expectativa neste ano, com mais um palco e com uma diversidade acrescida de novas audiências, é que venhamos a ultrapassar as quatro mil pessoas nos dois dias. Este é já o evento do ano sobre o digital em Portugal e queremos que o maior número possível de profissionais possam ter a possibilidade de ouvir os mais de 160 oradores em quatro palcos que iremos ter nos próximos dias 22 e 23 de outubro no Pavilhão Carlos Lopes. Conseguimos assegurar um modelo de financiamento que permite que não cobremos a inscrição. Apesar de termos uma agenda da mais elevada qualidade. Algumas pessoas, por vezes, perguntam-me porque não cobramos entrada e eu respondo que este é claramente um dos maiores contributos que a ACEPI dá a Portugal em parceria com o Ministério da Economia e com o .PT e, claro, com o suporte dos patrocinadores e expositores.

A Alemanha é o país convidado nesta edição de 2019. O que se pode esperar desta partilha de conhecimento de uma das economias mais inovadoras do mundo?
Num estudo recente da Comissão Europeia sobre o nível de digitalização dos países da EU, Portugal surge na 19.ª posição, que se destaca na disponibilização de serviços públicos digitais, e a Alemanha na 12.ª, destacando-se nas competências digitais, quer por parte dos cidadãos quer no mercado de trabalho. Vamos ter em todos os palcos a presença de representantes, nomeadamente empresários, e responsáveis das principais empresas e instituições da Alemanha, a par de um alargado grupo de oradores nacionais que gerem empresas alemãs em Portugal. Ao longo de dois dias, portugueses e alemães partilharão as suas experiências de transformação digital e debaterão quais os melhores modelos de negócio para as empresas serem bem-sucedidas na era digital.

Além da conferência, haverá outras iniciativas no âmbito da Portugal Digital Week?
Iremos realizar a Cerimónia de Entrega dos Prémios ACEPI Navegantes XXI. Tivemos mais de uma centena de candidaturas que disputaram neste ano os troféus das vinte categorias a concurso. O prémio ACEPI Carreira Navegantes XXI será neste ano entregue ao comendador Rui Nabeiro da Delta Cafés.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Alexandre Nilo Fonseca: Evento de “inspiração” para a transformação digital