Conhecer para valorizar os monumentos

Serviço educativo da Rota do Românico trabalha em conjunto com as escolas dos 12 municípios do Vale do Sousa, desenvolvendo atividades de divulgação.

Teatro, histórias e visitas aos monumentos são as principais ferramentas usadas nas 17 atividades propostas pelo Serviço Educativo da Rota do Românico (RR). Emília Machado, técnica daquele Serviço Educativo, explica que "o serviço educativo da RR desenvolve um trabalho colaborativo com as escolas onde a valorização do património assume um lugar de destaque".

Dar a conhecer de forma lúdica e pedagógica o património românico dos vales do Sousa, do Douro e do Tâmega, despertando o interesse para conhecer, valorizar e preservar, são alguns dos objetivos do Serviço Educativo da Rota do Românico (RR). Agregando, reúne 58 monumentos, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende). A Rota, através do Serviço Educativo, realiza atividades em ambientes tão diversos como os monumentos, a escola, a biblioteca e os Centros de Interpretação da Rota do Românico.

O Projeto Pedagógico da RR tem programa complementar ao currículo escolar. "Este Projeto Pedagógico é especialmente dirigido aos alunos do 4º ano, do 1º ciclo, porque é aqui que abordam a formação da nossa nacionalidade. Tema diretamente relacionado com os monumentos de estilo românico", frisou Emília Machado.

Todos os anos, o projeto desenvolve atividades em seis turmas de escolas de cada um dos 12 municípios que integram a Rota. "Através destas atividades, também queremos incentivar a conhecer o território da RR em contexto familiar. Começamos na escola para depois envolver a família e lançamos sempre o desafio de irem visitar os monumentos com os pais", disse a técnica do Serviço educativo.

Entre as atividades desenvolvidas, a Hora do Conto, no Pré-Escolar, conta a história "Diogo e o mistério das sete pedras", convidando as crianças a descobrir as sete pedras desaparecidas.
No 1º ciclo, a atividade "Vamos construir e decorar um monumento em cada passo", põe os jovens estudantes a montar monumentos em 3D.

Para os mais crescidos, uma das atividades mais requisitadas é "Que confusão de R"s", onde o objetivo é distinguir a arte Romana da arte Românica.
No secundário, os alunos são convidados a "Fotografar o património" e a "Observar e registar o património".

O Serviço Educativo da Rota do Românico dinamiza o concurso escolar Tradições Populares na Rota do Românico e o programa Férias na Rota, uma proposta para ocupar o tempo nas interrupções letivas.

Também organiza festas de aniversário no Centro de Interpretação do Românico, em Lousada, e no Centro de Informação da RR em Paredes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de