Conferência

Futuro do Euro em discussão no campus de Carcavelos da Nova SBE

Painel

O Economia Viva é o maior ciclo de conferências sobre Economia organizado por alunos em Portugal.

Decorreu esta quinta-feira o terceiro dia do Economia Viva, evento promovido pelo Nova Economics Club e pela Nova Students’ Union, no campus de Carcavelos da Nova SBE.

Já na 4.ª edição, o Economia Viva é o maior ciclo de conferências sobre Economia organizado por alunos em Portugal. O evento decorrer durante uma semana, na qual pelo menos uma temática de relevância nacional e internacional diferente é debatida diariamente entre académicos, especialistas de vários setores, políticos e alunos. O principal objetivo desta iniciativa é proporcionar aos alunos um complemento à sua formação académica.

A abertura da sessão de hoje contou com a presença de Ana Fontoura Gouveia, Membro da Divisão de Estudos Estruturais e Finanças Públicas no Banco de Portugal, Francisco Seixas da Costa, ex-secretário de Estado dos Assuntos Europeus e Johannes Lindner, Diretor da Divisão das Instituições da União Europeia no Banco Central Europeu, no Painel “What’s Next for the Euro”, com a moderação de Nuno Aguiar.

“Este ano estamos, uma vez mais, a seguir o caminho de sucesso que as edições passadas traçaram, perpetuando o Economia Viva como um dos mais importantes eventos sobre economia, organizado por estudantes no nosso país”, afirmou Gonçalo Mendes, vice-presidente do Nova Economics Club.

Ana Fontoura Gouveia realçou durante a sessão que “o objetivo da Europa deve ser a prosperidade partilhada, implicando assim duas grandes questões: a necessidade de uma maior partilha de informação entre os países da União Europeia e os benefícios serem partilhados equitativamente”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: José Carmo/Global Imagens

ISEG estima queda do PIB entre 8% e 10% este ano

António Mota, fundador da Mota-Engil. Fotografia: D.R.

Mota-Engil é a única portuguesa entre as 100 maiores cotadas do setor

António Rios Amorim, CEO da Corticeira Amorim. Fotografia: Tony Dias/Global Imagens

Lucros da Corticeira Amorim caíram 15,1% para 34,3 milhões no primeiro semestre

Futuro do Euro em discussão no campus de Carcavelos da Nova SBE