Conversas grupo SIMAB

Grupo DPD aposta forte nas encomendas a sul

Imagem ©PatriceMaurein10

Um dos projetos da empresa passa pelo reforço em Lisboa, mas no MARF haverá novo armazém e em Évora o espaço foi duplicado.

Já com presença em todo o país, o grupo DPD Portugal, que resultou da fusão da Chronopost com a Seur, está agora a reforçar a sua operação a sul, com destaque para o Mercado Abastecedor da Região de Faro (MARF). O crescimento que se está a verificar, e que vai além da época de verão, levou a esta decisão, que também já passou por uma duplicação do espaço que a empresa tinha no mercado de Évora. As perspetivas para 2020, a nível nacional, são para que a empresa continue a crescer, estando a ser preparado um novo centro de distribuição em Lisboa.

A maior aposta em Faro deveu-se a uma oportunidade, mas principalmente à necessidade de ter um espaço maior e que rondará os três mil metros quadrados, com um investimento a rondar os 500 mil euros, explica Rui Nobre, diretor-geral adjunto de operações. “Já estávamos com falta de espaço no armazém onde nos encontrávamos. Este vai otimizar muito mais a operação e surgiu-nos esta possibilidade dentro de mercado. Estar ali tem as suas vantagens.”

Rui Nobre acrescentou que o grupo DPD “tem muita atividade em Faro, nomeadamente no verão”, mas também fora dessa época. “Isso obriga-nos a crescer cada vez mais e, para fazer face às necessidades, temos de ter uma infraestrutura para podermos a partir daí fazer todas as entregas e recolhas dentro do espaço a que nos propomos”, afirmou. Em Évora, o espaço atual é de 1200 metros quadrados.

Em setembro do ano passado foi anunciada a fusão da Chronopost com a Seur, passando então a ser utilizada a marca DPD Portugal, como acontece na maioria dos países onde está presente. Além da Europa, a operação estende-se à América do Sul, África e uma presença significativa na Ásia.

Neste ano, as perspetivas são de crescimento, até porque o mercado online “está a aumentar bastante”, como frisou o diretor-geral adjunto de operações. Por ano, são 17 milhões de encomendas que são tratadas pelo agora grupo DPD. A empresa fatura cerca de 75 milhões de euros e dá emprego a 1200 trabalhadores. E com o crescimento esperado, vai também manter-se a tendência de criar mais emprego.

“Nós temos de adaptar os nossos recursos à nossa atividade e estamos continuamente a contratar novas pessoas. Temos sempre a necessidade de ter mais condutores, de ter pessoas a trabalhar nos armazéns nas áreas das encomendas, mas também estamos sempre a reforçar a nível de office, porque também queremos desenvolver noutras áreas.”

Além dos mercados abastecedores de Faro e Évora, ambos geridos pela Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores (Simab), o grupo DPD Portugal está presente em Vila Real, Guarda, Viseu, Porto, Coimbra, Torres Novas, Leiria, Évora, Faro, Funchal e Lisboa. Na capital vai sofrer também um reforço nas operações da empresa. “Temos a questão de um novo hub em Lisboa que está neste momento a ser trabalhado, talvez o nosso maior projeto para os próximos meses.”

Este projeto foi dado a conhecer aquando do anúncio da fusão da Chronopost e Seur, sendo que está em causa um investimento que rondará os 25 milhões de euros e cuja previsão é que esteja a funcionar em 2021.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. FILIPE FARINHA/LUSA

Marcelo promulga descida do IVA da luz consoante consumos

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

Grupo DPD aposta forte nas encomendas a sul