Matosinhos

Mercadona recupera antiga conserveira, bisneta do fundador fez restauro

A bisneta e a filha do fundador da Fábrica de Conservas Vasco da Gama Lda - Matosinhos, onde abriu a loja da Mercadona de Matosinhos.
Susana Lainho (bisneta); Maria da Conceição Barroso e Fernando Moreira Barroso (filhos do fundador da fábrica).
( José Carmo / Global Imagens )
A bisneta e a filha do fundador da Fábrica de Conservas Vasco da Gama Lda - Matosinhos, onde abriu a loja da Mercadona de Matosinhos. Susana Lainho (bisneta); Maria da Conceição Barroso e Fernando Moreira Barroso (filhos do fundador da fábrica). ( José Carmo / Global Imagens )

Com várias décadas de história, e depois de anos ao abandono e em ruína, os destinos da antiga fábrica de conservas Vasco da Gama voltaram a cruzar-se com a família que a fundou, em 1939, e a conduziu ao auge, no início da segunda metade do século XX.

Quis o acaso que fosse a bisneta de um dos fundadores – Narciso Barroso – da extinta conserveira de Matosinhos a executar trabalhos de restauro e conservação da velha chaminé do edifício e do logótipo – situado no exterior, virado para a Rua Sousa Aroso – das instalações, que o novo proprietário, a cadeia espanhola de supermercados Mercadona, recuperou e acaba de abrir, mantendo a fachada da Vasco da Gama.

Logótipo restaurado

Susana Lainho, que trabalha em conservação e restauro e é bisneta de Narciso Barroso, recebeu no início de 2018 o pedido de preço para restaurar as duas peças, e viu a obra ser-lhe adjudicada. “Ganhei, e nem tinha dito a ninguém que a fábrica era do meu bisavô. Fiquei toda contente, e só depois contei que era por ser a fábrica do meu bisavô”, revelou a descendente do fundador da conserveira, cuja laboração se iniciou num outro edifício, no gaveto da Avenida Menéres com a Rua Conselheiro Costa Braga.

“O logótipo está muito giro. Estava todo repintado, e tirámos as camadas de tinta que havia por cima da cor original e pintamos os bocadinhos que estavam em falta. Agora, está com as cores originais. O relevo estava, na sua maioria, bem conservado. Só tivemos de fazer um ou outro preenchimento, mas nada de especial”, explicou a restauradora.

Antigos donos satisfeitos com recuperação do edifício

“Acho que fizeram bem em aproveitar e integrar o pouco património artístico que existia. Foram só duas peças que restauraram, mas fizeram questão que fosse um trabalho de conservação e restauro e que não fosse um trabalho de reabilitação normal. Tiveram muito cuidado e gosto em manter”, reconhece Susana Lainho.

“Fiquei satisfeita por irem buscar a minha neta, sem saberem quem era, para restaurar”, confessa, orgulhosa, Maria da Conceição Barroso, filha de Narciso Barroso e avó de Susana. Fernando Barroso, o irmão mais novo, atualmente com 84 anos, trabalhou vários anos na Vasco da Gama, e na década de 1960 fez a transferência da produção para a unidade da Rua Sousa Aroso, onde nesta semana abriu o segundo supermercado da Mercadona em Portugal, integrado num investimento global de mais de 160 milhões de euros que a empresa está a realizar no país.

A nova loja, que dispõe de cerca de 1800 metros quadrados de área de venda, é “um projeto inserido na política de responsabilidade empresarial da Mercadona”, que “sempre teve a preocupação de se integrar na “vizinhança”, e, por este motivo, muitas das lojas seguem a arquitetura dos bairros onde estão inseridas”, como refere a empresa.

“Fiquei muito contente com a reconstrução disto”, congratulou-se Fernando Barroso.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
NOVA SBE, em Carcavelos.
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Nova SBE: Pública, financiada por privados e aberta a todos

Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas

Fotografia: EPA/NEIL HALL

Brexit: Governo britânico reitera compromisso de cumprir saída a 31 de outubro

Outros conteúdos GMG
Mercadona recupera antiga conserveira, bisneta do fundador fez restauro