Lisbon Mobi Summit

Nova mobilidade será feita sobretudo fora das grandes cidades

Serviços de carsharing estão concentrados, para já, na região de Lisboa e poderão tornar-se na principal forma de mobilidade dentro das cidades. Fotografia: DR
Serviços de carsharing estão concentrados, para já, na região de Lisboa e poderão tornar-se na principal forma de mobilidade dentro das cidades. Fotografia: DR

Administrador da Brisa diz que dentro das cidades "ficarão pouco mais de 10% dos carros" atualmente em circulação nas zonas urbanas.

A transformação da mobilidade terá impacto sobretudo fora das grandes cidades. É nas autoestradas e estradas nacionais que circulam grande parte dos veículos diariamente, no entender de Pedro Rocha e Melo, vice-presidente do conselho de administração da Brisa. Todos os operadores, por isso, terão de mudar todo o seu modelo de negócio, concluíram os participantes no debate sobre “os desafios e uma nova ambição para a mobilidade”, que realizou-se esta sexta-feira no warm up da Lisbon Mobi Summit.

“A maior parte da mobilidade passa-se fora das cidades. A principal atividade dos condutores é nas autoestradas, e isso vai continuar. Temos de usar a transformação digital para que as pessoas possam ter todo o tipo de comodidades e de conveniência para circular”, afirmou o administrador da Brisa num debate moderado por Rosália Amorim, diretora editorial do Dinheiro Vivo, que decorreu no auditório da sede da EDP, em Lisboa.

Pedro Rocha e Melo acredita mesmo dentro das cidades “ficarão pouco mais de 10% dos carros” atualmente em circulação nas zonas urbanas. Os serviços de partilha de automóvel serão os principais ocupantes das estradas das cidades, que, por “serem muito eficientes”, constituem uma alternativa “muito mais interessante” do que comprar carro novo, completa este responsável da concessionária de autoestradas portuguesas.

O debate sobre “os desafios e uma nova ambição para a mobilidade” realizou-se esta sexta-feira no warm up da Lisbon Mobi Summit, iniciativa da EDP, em parceria com a Volkswagen, Via Verde e Efacec, e que conta com a participação do Dinheiro Vivo, Diário de Notícias, Jornal de Notícias, TSF e Motor24.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Mário Cruz/ Lusa)

Carlos Costa: “Não participei nos 25 grandes créditos que geraram perdas” à CGD

Pedro Granadeiro / Global Imagens

Reclamações. Anacom acusa CTT de divulgar informação enganosa

Paulo Macedo, presidente da CGD

CGD cumpre “com margem significativa” requisitos de capital do BCE

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Nova mobilidade será feita sobretudo fora das grandes cidades