Coronavírus

Projeto para desenvolver terapias para vírus ganha investimento de 110 milhões

O novo Covid-19. Foto: EPA/National Institutes of Health/Niaid-RML
O novo Covid-19. Foto: EPA/National Institutes of Health/Niaid-RML

Fundação Bill & Melinda Gates, Wellcome e Mastercard anunciaram um pacote conjunto de investimento na iniciativa do acelerador terapêutico para vírus

No total, as três entidades vão reforçar esta iniciativa com 110 milhões de euros. O grande objetivo deste acelerador terapêutico é o de dar uma resposta mais rápida à epidemia de Covid-19, através da identificação, avaliação, desenvolvimento e amplificação de novos tratamentos.

Com o investimento a totalizar 110 milhões de euros, cada parte contribuirá com diferentes montantes. A Fundação Gates e a britânica Wellcome, que foi fundada em 1936 pelo farmacêutico Henry S. Wellcome, vão investir 45 milhões de euros cada uma. Já a Mastercard, através da unidade Impact Fund, contribuirá com 21 milhões de euros.

No caso do investimento feito pela Fundação Gates, este valor faz parte do montante total de 90 milhões de euros que Bill e Melinda Gates anunciaram no mês passado que iriam dedicar à investigação e desenvolvimento de respostas para o vírus.

“Vírus como o Covid-19 espalham-se rapidamente, enquanto que o desenvolvimento de vacinas e de tratamentos para o deter é muito mais lento”, indica Mark Suzman, diretor executivo da Fundação Bill & Melinda Gates, citado em comunicado. “Se queremos proteger o mundo contra surtos como o Covid-19, principalmente para os mais vulneráveis, precisamos de encontrar uma forma de fazer com que a pesquisa e o desenvolvimento se movam mais rapidamente. Isso exige que governos, empresas privadas e organizações filantrópicas ajam rapidamente para financiar a I&D.”

Este acelerador terapêutico trabalhará com a Organização Mundial de Saúde, além de financiadores e organizações governamentais e empresas do setor privado. Em comunicado, as entidades envolvidas referem que esta iniciativa irá “trabalhar nos vários estágios do ciclo de desenvolvimento deste tipo de produtos, em concreto para otimizar os processos até à avaliação clínica, uso e fabricação”. É esperado que este acelerador consiga abrir caminho para novos medicamentos e produtos biológicos para o Covid-19, adotando uma abordagem tripla, através do teste a drogas, pesquisa entre compostos e considerando compostos em investigação e anticorpos monoclonais.

“Este vírus é uma ameaça global sem precedentes e pela qual devemos impulsionar parcerias internacionais para desenvolver tratamentos, diagnósticos rápidos e vacinas. A ciência está a mover-se a um ritmo fenomenal contra o Covid-19, mas para superar esta epidemia precisamos de mais investimentos e de garantir a coordenação da pesquisa. (…) Devemos fortalecer os esforços perante o COVID-19 e garantir que os resultados sejam acessíveis a todos. Investir agora, em escala e como um esforço coletivo global é vital para mudarmos o curso desta epidemia”, indica Jeremy Farrar, diretor da Wellcome, na nota de imprensa.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus turismo turistas

ISEG. Recessão em Portugal pode chegar a 8% este ano

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. JOÃO RELVAS/LUSA

Pedidos de lay-off apresentados por 33.366 empresas

coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Rendimento básico incondicional? “Esperamos não ter de chegar a esse ponto”

Projeto para desenvolver terapias para vírus ganha investimento de 110 milhões