Conversas grupo SIMAB

Revitalizar os mercados mantendo o tradicional

Consultor da SIMAB. DR
Consultor da SIMAB. DR

SIMAB tem trabalhado com as câmaras para regenerar estes locais, mas continuando a apostar na venda de produtos agroalimentares.

Os mercados municipais não são esquecidos pelos consumidores, apesar de as grandes cadeias de distribuição alimentar estarem em contínua expansão, até com a chegada de novos grupos estrangeiros. Ciente da sua importância, a Sociedade Instaladora de Mercados Abastecedores (SIMAB) tem reforçado a revitalização dos espaços, apostando numa modernização que não esquece questões como as alterações climáticas, mas sempre mantendo a génese e tradição dos mercados.

João Tiago Carapau, responsável pelo desenvolvimento da área de consultoria da SIMAB em termos nacionais e internacionais, explicou como não se pode dissociar um fenómeno muito relevante quando se fala de revitalização dos mercados municipais: “A explosão que o turismo trouxe no mercado imobiliário.” Este tipo de mercados tem normalmente localizações privilegiadas, o que faz que algumas intervenções se tenham centrado na atração turística. “Por exemplo, o Mercado da Ribeira. As funções de mercado municipal que lá estão são residuais. É algo que funciona muito bem, é um ótimo exemplo, mas não deixa de ser um espaço meramente de restauração. Não há uma ligação por natureza com os produtores que lá estavam, nem com o que é a produção local.”

A SIMAB prefere seguir outro caminho nos mercados onde trabalha: “Tentamos que continuem a ser polos comerciais de venda a retalho de produtos agroalimentares e que possam ter algumas funções complementares em termos de restauração, ou de outros equipamentos e funções.” Os primeiros projetos remontam ao final do século XX, numa altura em que a SIMAB alargou a sua área de intervenção, até então mais centrada nos mercados abastecedores, sendo a gestora do de Braga, Lisboa, Évora e Faro.

O período da troika trouxe outros desafios, mas a aposta na revitalização de mercados municipais é novamente forte. “Com a possibilidade de crescimento económico e com a determinação em recuperar esse processo estratégico e político de articulação da SIMAB como um instrumento e um pilar fundamental nas cadeias de distribuição, voltou-se a renovar a iniciativa”.
Faro, Loulé, Bragança, Portalegre, Ponta Delgada e Beja são alguns exemplos, com São João da Madeira a ter atualmente um projeto em desenvolvimento, com mais trabalhos a serem desenvolvidos com câmaras como a de Odemira, Leiria e Peniche. E também a de Lisboa.
João Tiago Carapau destacou que existe um “tripé” que inclui três pontos de suporte para revitalizar os mercados: estrutural (“no fundo a obra de arquitetura e engenharia”), comunicação e capacitação.

Neste último as pecto, a SIMAB e a Câmara de Lisboa promoveram, no ano passado, um curso para gestores destes mercados em Lisboa, algo que a SIMAB pretende levar a outros pontos do país, sem esquecer que é também importante apoiar os operadores. Um segundo curso está já a ser preparado.
E, com as alterações climáticas em mente, a SIMAB também se prepara para apostar numa lógica de green market. “O nosso trabalho é no sentido de que estes equipamentos públicos estejam preparados no futuro para duas questões: a mitigação, descarbonização, e aí trabalhamos em soluções mais amigas do ambiente, como equipamentos mais eficientes a nível energético, por exemplo. Depois há a chamada componente da adaptação, ou seja, temos de criar condições para que os operadores do mercado se adaptem ao que vai ser a alteração do clima, como trabalhar com coberturas mais verdes e com sistemas de gestão de água mais eficientes.”

João Tiago Carapau é responsável pela consultoria da SIMAB. Foto: Direitos reservados

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa,  29/09/2020 - Ursula Von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia.
(Paulo Alexandrino/Global Imagens)

Ursula von der Leyen. “Portugal é único e tem agora oportunidades maravilhosas”

Portugal's Prime Minister Antonio Costa speaks during presentation of the European and Portuguese Recovery and Resilience Plans, at Champalimaud Foundation, in Lisbon, Portugal, 29 September 2020. Ursula Von Der Leyen is in Lisbon for a two-day official visit. MÁRIO CRUZ/LUSA

Portugal recorrerá só a subvenções. Empréstimos só quando situação melhorar

ANTONIO COTRIM/ LUSA

Von der Leyen: Instrumento “SURE é um escudo para os trabalhadores e empresas”

Revitalizar os mercados mantendo o tradicional