CVRVV

Vinho Verde, uma marca internacional

LogoVV┬_2_RGB

Vinho Verde é muito mais do que vinhos brancos leves e jovens. Também os há ricos e envelhecidos em madeira, ou na versão rosados e tintos distintos

Poucas marcas são tão evocativas quanto a marca Vinho Verde. A associação de duas palavras – “Vinho Verde” – é capaz de criar uma expectativa sensorial imediata para um vinho jovem, vibrante e, sobretudo, fresco. Ao mesmo tempo, o facto de remeter para uma experiência de consumo surpreendentemente agradável garante-lhe lugar de destaque na primeira linha das oportunidades de mercado, numa altura em que as tendências de consumo se voltam para vinhos brancos, leves e frescos

Mas a marca Vinho Verde é muito mais do que vinhos brancos leves e jovens. Também os há ricos e envelhecidos em madeira, ou na versão rosados e tintos distintos.

Os Vinhos Verdes Alvarinho são os mais célebres da Região, por se revelarem mais estruturados e complexos e com um caráter mais tropical. Porém, o estilo mais rico e envelhecido em madeira que, por vezes, encontramos não diz apenas respeito ao Alvarinho. Também os Vinhos Verdes da casta Avesso, com mais textura e estrutura, mostram grande potencial de envelhecimento em barricas.

Qualquer que seja o perfil do vinho em prova, a Região dos Vinhos Verdes produz sempre vinhos frescos e o segredo resulta das características do território e de castas tão singulares e diferenciadas como as que dão origem a vinhos únicos no Mundo.

Orograficamente, a Região apresenta-se como “um vasto anfiteatro que, da orla marítima, se eleva gradualmente para o interior” (Amorim Girão), expondo toda a área à influência do oceano Atlântico, fenómeno reforçado pela orientação dos vales dos principais rios, que facilitam a penetração dos ventos marítimos. Esta influência atlântica, os solos na sua maioria de origem granítica, o clima ameno e a elevada precipitação traduzem-se na frescura, na leveza e na elegância naturais que caracterizam os vinhos da Região. Mas quer se trate de Alvarinho ou Avesso, todas as castas locais têm em comum a capacidade de reter a frescura, mesmo em áreas geográficas mais quentes como Baião ou Monção.

Nenhum produtor da Região dos Vinhos Verdes se satisfaz com a produção de um único estilo de vinho. Atualmente, assiste-se a toda uma nova geração de produtores que abraça com muito entusiasmo a inovação, a qualidade e a diversidade do Vinho Verde, reforçando a consagração e partilha de que há muito mais na Região do que um perfil único de vinho.

A Região incorporou a missão de garantir que o Vinho Verde não é apenas a Região de referência do vinho branco Português mas, acima de tudo, uma das marcas mais distintivas e respeitadas do mundo – porque o Vinho Verde “vai cada vez mais longe” e chega a mais de 100 países.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Usados-carros-dicas-26d88f95262fb04408cf1721d918f6efc0da028d

São feitos quase 600 créditos por dia para comprar carro

Rendas da energia pesam 80 euros na conta da luz em 2018

José Vieira da Silva, ministro do Trabalho. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

CML admite comprar 11 prédios da Segurança Social

Outros conteúdos GMG
Vinho Verde, uma marca internacional