crime

Epstein: Milionário encontrado morto na cela

REUTERS/Shannon Stapleton/File Photo
REUTERS/Shannon Stapleton/File Photo

O investidor, acusado de tráfico sexual, ter-se-á enforcado. Ontem foram tornados públicos milhares de documentos sobre a alegada rede de Epstein.

Jeffrey Epstein, o investidor norte-americano que foi acusado de tráfico sexual no mês passado, ter-se-á aparentemente enforcado e o seu corpo foi encontrado na manhã deste sábado na sua cela.

A notícia está a ser avançada pelos media nos Estados Unidos. O FBI já está a investigar o caso. O procurador-geral dos EUA, William Barr, afirmou hoje estar “chocado” com a morte de Epstein e disse que falou com o inspetor-geral do Departamento de Justiça para ser aberta uma investigação às circunstâncias do aparente suicídio.

A morte surge um dia depois de terem sido tornados públicos milhares de documentos, que se encontravam em segredo de justiça, que trouxeram à luz mais nomes de políticos e poderosos que terão alegadamente participado na rede de tráfico de adolescentes e jovens liderada por Epstein.

O milionário norte-americano, de 66 anos, encontrava-se detido no Metropolitan Correctional Center, em Nova Iorque. Foi detido há cerca de um mês sob a acusação de tráfico sexual. Epstein terá abusado sexualmente de dezenas de raparigas menores. Epstein declarou estar inocente das acusações.

Epstein, que ficou detido sem direito a fiança, pretendia ficar a viver na sua luxuosa casa em Manhattan sob a vigilância de guardas. Após o juiz do processo ter recusado o pedido, o investidor avançou com um recurso para reverter a decisão.

No final de julho, o investidor foi encontrado inconsciente na sua cela, com suspeitas de tentativa de suicídio. Desde então, foram adotadas medidas para evitar que Epstein se suicidasse. Mas essa vigilância foi entretanto terminada, segundo os media.

Fontes policiais disseram à Fox News que Epstein foi transportado da prisão por volta das 06H30 e já se encontrava morto.

Ontem foram divulgados documentos relativos a um processo que envolve uma ex-namorada de Epstein, Ghislaine Maxwell, a alegada ‘madame’, que recrutava jovens menores para a rede de tráfico sexual do milionário.

Os documentos que foram conhecidos prendem-se com um processo por difamação que Virginia Roberts, uma das alegadas vítimas de Epstein, colocou contra Maxwell. O processo foi encerrado em maio de 2017. Nos documentos agora divulgados surgem testemunhos e provas que apontam que algumas figuras públicas – incluindo dois políticos do Partido Democrata e o príncipe André – terão alegadamente participado da rede de Epstein.

Epstein era conhecido por privar com políticos e membros da realeza e tinha uma forte ligação a Wall Street.

O milionário detinha várias propriedades de luxo, incluindo uma ilha nas Ilhas Virgens dos EUA – com um edifício semelhante a um templo -, e onde terão sido cometidos abusos. A ilha era destino frequente do seu avião privado que ficou conhecido por ‘Lolita Express’.

Bill Clinton, ex-presidente dos EUA, voou pelo menos 27 vezes no ‘Lolita Express’, tendo ocasionalmente dispensado os serviços de guarda-costas, segundo os manifestos de voo analisados pelo Washington Examiner. Epstein foi apontado como tendo participado na criação da Clinton Global Initiative, que foi fundada em 2005 por Bill Clinton, e o milionário também fez donativos à Clinton Foundation, bem como a outras causas e candidatos do Partido Democrata.

O atual presidente dos EUA, Donald Trump, voou uma vez com Epstein, em 1997, entre o aeroporto de Palm Beach e o aeroporto de Newark, nos EUA, e não passou pela polémica e misteriosa ilha do milionário.

Epstein já tinha sido acusado de solicitar uma menor para a prostituição mas obteve um polémico acordo judicial em 2008, que está a ser revisto agora pelas autoridades norte-americanas.

A origem da fortuna de Epstein tem sido questionada. Recentemente o magnata dono da cadeia de lingerie Victoria’s Secret, Leslie Wexner, acusou Epstein de ‘se ter apropriado indevidamente’ de 46 milhões de dólares (cerca de 41 milhões de euros) da sua empresa.

Atualizada às 20H37

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

(A-gosto.com/Global Imagens).

PSD indisponível para viabilizar alteração à lei para aeroporto do Montijo

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Epstein: Milionário encontrado morto na cela