EUA

EUA: Intercetados “pacotes suspeitos” endereçados à CNN, Clinton e Obama

O governador de Nova Iorque, Bill de Blasio. Nova Iorque, EUA. 24 de outubro de 2018. REUTERS/Kevin Coombs
O governador de Nova Iorque, Bill de Blasio. Nova Iorque, EUA. 24 de outubro de 2018. REUTERS/Kevin Coombs

Os pacotes estavam endereçados aos Clinton, Obama, à CNN e ainda ao governador de Nova Iorque, que já classificou o sucedido como um "ato de terror".

As autoridades norte-americanas intercetaram nas últimas horas “pacotes suspeitos” contendo “potenciais engenhos explosivos” destinados à Casa Branca, a Hillary Clinton e Barack Obama, dois dias após uma bomba artesanal ter sido encontrada na residência do multimilionário George Soros.

A encomenda suspeita endereçada à Casa Branca foi intercetada esta quarta-feira numa base militar de Washington, somando-se a outros dois artefactos explosivos enviados para as residências da ex-candidata presidencial Hillary Clinton (em Chappaqua, Nova Iorque) e do ex-presidente Barack Obama (em Washington DC), noticiou a estação televisiva CNN.

O conteúdo do pacote dirigido à mansão presidencial ainda não é conhecido.

Os “pacotes suspeitos” dirigidos a Hillary Clinton e a Barack Obama, foram intercetados pelo serviço federal norte-americano encarregado da sua proteção, pelo que não chegaram às mãos dos destinatários, indicaram os serviços secretos em comunicado.

De acordo com o diário The New York Times, que cita as forças da ordem, os dispositivos são semelhantes àquele que foi encontrado e detonado pela polícia na segunda-feira na residência do multimilionário e filantropo George Soros – outro famoso democrata -, em Bedford, a cerca de 60 quilómetros de Nova Iorque.

O Departamento de Segurança Nacional, do qual dependem os serviços secretos, indicou em comunicado que os pacotes foram “de imediato identificados como potenciais engenhos explosivos durante procedimentos de rotina de verificação do correio e foram tratados como tal”.

Também as instalações da CNN no edifício Time Warner, em Manhattan, foram evacuadas perante a ameaça de uma possível bomba.

Pouco depois de noticiados os primeiros casos, a Casa Branca reagiu, condenando “as tentativas de ataques violentos” contra os Clinton e os Obama.

“Condenamos as tentativas de ataques violentos recentemente efetuadas contra o Presidente Obama, o Presidente Clinton, a secretária [de Estado] Clinton e outras figuras públicas”, declarou em comunicado a porta-voz presidencial, Sarah Sanders.

“Estes atos terríveis são desprezíveis e todos os responsáveis prestarão contas perante a justiça”, disse a porta-voz.

Sanders sublinhou ainda que os serviços secretos norte-americanos e outras agências “estão a investigar e e adotarão todas as ações apropriadas para proteger quem quer que seja ameaçado por estes cobardes”.

O governador de Nova Iorque já veio dizer que se trata de “um esforço para nos aterrorizar”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dívida pública está nos 130,3%

Endividamento da economia atinge novo recorde em abril

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, fala perante a Comissão de Trabalho e Segurança Social, na Assembleia da República, em Lisboa, 26 de junho de 2019. TIAGO PETINGA/LUSA

Mais 93 mil novas pensões atribuídas até julho

Luís Lima, APEMIP

Imobiliárias temem fuga de clientes com nova lei de combate ao branqueamento

Outros conteúdos GMG
EUA: Intercetados “pacotes suspeitos” endereçados à CNN, Clinton e Obama