Fotogaleria

França: As manifestações de sábado em números e imagens

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

O aumento dos impostos sobre os combustíveis e o agravamento do custo de vida têm levado os franceses para as ruas desde o dia 17 de novembro.

Este é um balanço das manifestações dos ‘coletes amarelos’ ontem por toda a França, com especial concentração em Paris, cidade que registou a maior agitação popular desde os protestos civis em 1968.

O aumento dos impostos sobre combustíveis e o consequente agravamento do custo de vida têm levado os franceses para as ruas desde o dia 17 de novembro em protestos, com manifestantes a pedir a demissão do presidente Emmanuel Macron.

O governo francês avalia numa reunião urgente, este domingo, se vai impor o Estado de Emergência para travar os distúrbios, que terão a mão de grupos de radicais que se terão infiltrado nas ações de revolta popular.

  • 136.000 pessoas participaram em manifestações em toda a França, segundo dados do Ministério do Interior francês.
  • 10.000 pessoas protestaram em Paris, segundo as autoridades.
  • 263 pessoas ficaram feridas em França, cinco das quais em estado grave. 81 dos feridos são agentes policiais.
  • 133 feridos só em Paris, dos quais 23 polícias.
  • Um condutor foi morto em Arles (Bouches-du-Rhone)
  • 682 pessoas foram detidas, tendo 630 ficado sob custódia da polícia.
  • 412 pessoas foram detidas só em Paris e 378 pessoas ficaram na prisão.
  • – Entre os detidos, a polícia identificou uma maioria pertencente à extrema-esquerda e extrema-direita, bem como cidadãos dos subúrbios que aproveitaram para saquear lojas.
  • 9.861 granadas de dispersão, incluindo de gás lacrimogéneo, foram atiradas contra os manifestantes em Paris.
  • 136.800 litros de água foram disparados pelos canhões da polícia.

Fonte: Reuters

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral Depósitos CGD Juros depósitos

Caixa perdeu 1300 milhões com créditos de grandes devedores

Ursula von der Leyen foi o nome nomeado para presidir à Comissão Europeia. (REUTERS/Francois Lenoir)

Parlamento Europeu aprova Von der Leyen na presidência da Comissão

Christine Lagarde, diretora-geral demissionária do FMI. Fotografia: EPA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Christine Lagarde demite-se da liderança do FMI

Outros conteúdos GMG
França: As manifestações de sábado em números e imagens