Eleições

ZDF autorizada por tribunal a não difundir ‘spot’ da extrema-direita alemã NPD

5 alemanha

Decisão foi tomada pelo tribunal administrativo de Mayence na sexta-feira, depois do NPD ter tentado forçar a ZDF a transmitir a sua campanha

A segunda cadeia de televisão pública alemã ZDF, apoiada por uma decisão judicial, não irá difundir um ‘spot’ da campanha do partido de extrema-direita da Alemanha NPD, considerada como desdenhosa para os estrangeiros do país.

A decisão foi tomada pelo tribunal administrativo de Mayence na sexta-feira, depois do NPD, próximo do movimento neonazi, ter tentado forçar a ZDF a transmitir a sua campanha, noticiou hoje o ‘site’ Tagesschau.de, do primeiro canal público ARD.

O ‘spot’, que era para ser ser difundido a partir de segunda-feira, descreve “os estrangeiros que vivem na Alemanha de uma forma totalmente desprezível que atenta contra a sua dignidade humana e pode perturbar a ordem pública”, de acordo com a decisão do tribunal relatada pelo jornal Rhein-Zeitung.

A decisão judicial não é aplicável diretamente à concorrente ARD, uma vez que os dois canais são independentes um do outro.

No entanto, a cadeia de televisão Berlin-Brandenburg RBB há anunciou que não vai difundir o ‘spot’.

No seu ‘site’, o partido da extrema direita menciona expressões como “a imigração mata” e “homens com facas” que levaram os juízes a impedir a transmissão.

O advogado do NPD, Peter Ritcher, considerou que a decisão do tribunal “incompreensível” e disse que já apelou ao Tribunal Constitucional Federal em Karlsruhe.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Alexandre Fonseca, presidente da Altice Portugal (Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Altice sobre compra TVI. “Estado perdeu 200 milhões num ano”

Combustíveis

Petróleo sobe em flecha. “Não haverá impacto perturbador nas nossas algibeiras”

Outros conteúdos GMG
ZDF autorizada por tribunal a não difundir ‘spot’ da extrema-direita alemã NPD