Apple lança iPad Air 2 e iPad mini 3. Chegam a Portugal na próxima semana

Agora que o secretismo da Apple já não é tão secreto, as apresentações de produtos são mais confirmações que revoluções. Assim foi ontem: a Apple cumpriu todas as expectativas e lançou o iPad Air 2 e o iPad mini 3, os aparelhos mais esperados para a reta final do ano. Ambos podem ser pré-reservados já a partir de hoje e chegam às lojas em Portugal no final da próxima semana.

Os preços ainda não foram revelados, mas deverão ser similares aos praticados inicialmente nas versões anteriores (a partir de 479 euros para o Air e 339 euros para o mini). Agora, a versão WiFi de 16 gigas do iPad Air custa 409 euros e o iPad mini retina vende-se por 309 euros.

“O iPad é um aparelho simples e mágico. Sempre foi uma mistura única de simplicidade e capacidade”, disse Tim Cook, durante a apresentação de ontem na sede da empresa, em Cupertino. O CEO da Apple apresentou-se, mais uma vez, muito confiante e sorridente. Disse que a empresa vendeu mais iPads nos seus quatro anos de existência que qualquer outro da sua história. Mas a verdade é esta: o ritmo de vendas do iPad está a diminuir. Caiu nos últimos dois trimestres – 16% até março e 9% até junho. Os resultados do quarto trimestre fiscal da Apple são apresentados na próxima semana, coincidindo com o lançamento dos tablets em 32 países (incluindo Portugal), e ditarão o que aconteceu ao tablet durante entre julho e setembro. Em junho, a quota de mercado mundial desceu para 26,9%, segundo a IDC, ainda acima dos 17,2% da Samsung.

Certo é que a Apple aposta que o iPad Air 2 vai dar motivos aos consumidores para substituírem os seus modelos antigos, ou comprarem um pela primeira vez. São vários os trunfos. Primeiro, é “o tablet mais fino do mundo”, segundo afirmou Phil Schiller, o vice-presidente mundial de marketing da empresa.Tem apenas 6,1 milímetros de espessura, o que o torna 18% mais fino que o primeiro iPad Air (que já era 20% mais fino que o iPad retina). O peso é impressionante – apenas 437 gramas; por comparação, a primeira geração do tablet pesava 680 gramas.

A segunda característica importante do novo tablet é o leitor de impressões digitais, Touch ID, no botão Home. Esta adição permite não só um nível adicional de segurança e proteção do aparelho, como também poderá ser usada para fazer compras online sem ter de fornecer o cartão de crédito, com o Apple Pay. O serviço de pagamentos da marca chega, aliás, na segunda-feira – mas apenas nos Estados Unidos, nesta fase.

Os outros pontos fortes do iPad Air 2 são o ecrã e o processador. No caso do ecrã, foi-lhe adicionado um acabamento anti-reflexo, que permitirá reduzir os reflexos em 56%. O processador não é reciclado do iPhone 6, é novo e foi desenhado para o tablet – o A8X de 64-bit oferece um desempenho 40% mais rápido, tem três mil milhões de transístores e placa gráfica 2,5 vezes mais rápida, além de incluir o co-processador de movimento M8.As câmaras também foram melhoradas e agora a da frente permite tirar selfies umas atrás das outras, com o “burst mode”.

No caso do iPad mini 3, as diferenças são incrementais. O leitor de impressões digitais é a novidade mais saliente, sendo que desaparece a versão de 32 gigas. “O iPad é um aparelho mágico de vidro que corre mais de 675 mil aplicações desenhadas para ele, e é leve e fino o suficente para se usar todo o dia confortavelmente”, disse Schiller.

As outras novidades do dia foram o iMac de 27 polegadas com um ecrã de super-resolução: 5120×2880 pixeis. Não é 4K, é o Retina 5K. Tem 3,5 teraflops e processador quadcore i5, com preço de 2499 dólares. Já o Mac Mini recebe processadores mais rápidos e baixa de preço, para 499 dólares.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mário Centeno ladeado pelos representantes dos dois maiores credores de Portugal: Pierre Moscovici (Comissão) e Klaus Regling (ESM). Fotografia: EPA/JULIEN WARNAND

Centeno usa verbas da almofada de segurança para pagar aos credores europeus

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Paulo Fernandes lidera o grupo Cofina. (Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Foto: Arquivo

Cofina quer TVI sem remédios

Outros conteúdos GMG
Apple lança iPad Air 2 e iPad mini 3. Chegam a Portugal na próxima semana