OPA PT SGPS

ATM. “Não acredito que CMVM aceite registo se Isabel dos Santos mantiver derrogação de OPA obrigatória”

"Não acredito que a CMVM aceite o registo nestas condições, com um pedido de derrogação de OPA obrigatória", diz Octávio Viana, presidente da Associação de Investidores e Analistas Técnicos do Mercado de Capitais (ATM).

O responsável da associação de pequenos investidores reagia às novas condições da oferta pública de aquisição de Isabel dos Santos sobre a PT SGPS.

Na CMVM ainda não deu entrada nenhum pedido de registo da OPA, apurou o Dinheiro Vivo junto do regulador.

“Há ainda algo que precisa de ser resolvido: as condições com que a OPA foi lançada não corresponde às regras de lançamento de OPA obrigatória”, frisa. Isto porque Isabel dos Santos quer no mínimo 50,01% do capital da PT SGPS e para isso teria de lançar uma oferta subsequente sobre as ações remanescentes (OPA obrigatória). O preço teria de ser determinado com base na média de cotação dos últimos seis meses, ou seja, 1,94 euros e não os atuais 1,35 euros/ação.

“E o preço não mudou”, realça Octávio Viana, presidente da ATM que já inquiriu a CMVM sobre o tema.

Quanto às restantes condições objeto de alteração, como o deixar cair a desblindagem dos estatutos que impede direitos de voto acima dos 7,5%, Octávio Viana considera que “são alterações no sentido de obter receptividade junto da Oi”.

Octávio Viana lembra que a ATM avançou com um processo contra as deliberações na assembleia geral de 8 de setembro em que foram aprovados os novos termos de fusão com a Oi, em que a PT SGPS fica com uma posição de 25,6%. O processo já deu entrada na justiça e foi contestado pela PT SGPS.Situação que pode ter impacto na OPA.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: DR

IMI baixa para mais de 24 mil famílias que pediram reavaliação

NOS

Avaria na rede da NOS está a afetar milhares de clientes

Bandeira de Angola

Ex-presidente do Fundo Soberano de Angola libertado

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
ATM. “Não acredito que CMVM aceite registo se Isabel dos Santos mantiver derrogação de OPA obrigatória”