Ceias natalícias esgotam hotéis de cinco estrelas em Lisboa e no Porto

Há três anos que Leonor Feria e a família passam a noite da consoada num hotel no Vimeiro. Foi a forma que arranjou de estar mais perto da avó, que vive num lar naquela região. Tal como Leonor, milhares de portugueses trocam o tradicional jantar em casa por uma noite no restaurante de um hotel. Em Lisboa e no Porto, já há ceias esgotadas e a procura aumentou este ano, especialmente nos hotéis de cinco estrelas.

“Vemos todo o tipo de famílias, desde jantares só entre pai e filho às famílias grandes. O que mais me impressionou foi ver tantas pessoas”, conta ao DN Leonor Feria, 31 anos. Apesar das “saudades do pe-ru feito pela mãe”, Leonor reconhece que “é um descanso para ela, porque acabava por passar o dia na cozinha”. E, mesmo não sendo caseiros, não faltam os sabores típicos da quadra no restaurante do hotel. Já as trocas de prendas são feitas num dos quartos. A arquiteta reconhece que “é diferente” e “um pouco impessoal”, mas o espírito permanece o mesmo.

“Antigamente, o Natal era uma época para a família passar em casa. Não tínhamos movimento no restaurante. Agora, é uma das noites mais fortes do ano, não há folgas para ninguém e ainda temos de contratar animação, como o palhaço Pico, que vem animar as crianças na consoada e na passagem de ano”, relata Joana Almeida, diretor-geral do Sheraton Porto.

Ali, o restaurante não serve apenas a ceia de Natal, que fica a 70euro por pessoa, mas também, desde há dois anos, refeições em sistema take away. “No primeiro ano, não fizemos divulgação e foi razoável. No ano passado, já foi um sucesso e vendemos mais de cem refeições”, adianta a mesma fonte. “As pessoas trabalham até tarde, mesmo na véspera de Natal, e não têm tempo para passar o dia na cozinha, como dantes, por isso preferem levar tudo pronto e aproveitar melhor o tempo em família”, acrescenta Joana Almeida. “Julgo que, além disso, o fenómeno da emigração tem contribuído para que os encontros de toda a família sejam num único local onde cabem todos confortavelmente (as casas são cada vez mais pequenas, como sabemos)”, remata. Ligeiramente mais em conta do que o Sheraton, a 65euro por pessoa, a ceia no Crowne Plaza Hotel está quase esgotada, com ocupação a 70%. “Atualmente recebemos, essencialmente, famílias com média de seis elementos, que pretendem encontrar uma solução cómoda e prática, associada a um nível de serviço de elevada qualidade, para passar a noite de Natal”, disse a diretora comercial, Maria Manuel Ramos.

Na mesma Avenida, a diretora do Porto Palácio Congress Hotel & SPA, Maria Eugénia Queirós, considera que “o Natal do Porto Palácio é já uma tradição com elevada taxa de repetição”, notando-se desde há cerca de seis anos um “crescimento na procura das soluções de take-away”. A ceia e o almoço de Natal, a 65euro por pessoa, já estão com ocupação a 80%.

No segundo ano de atividade, o Hotel da Música também regista alguma procura para a ceia e para o almoço de Natal, bem como do serviço de takeaway, em que o bacalhau é o mais procurado. Quem janta no hotel fá-lo, no entender do hotel, “porque têm uma casa pequena ou porque preferem deixar os preparativos nas mãos de profissionais”.

No Palácio das Cardosas, o restaurante Astoria do Hotel Intercontinental tem expectativa de, à semelhança de anos anteriores, encher na noite de Natal. “Podemos falar maioritariamente em clientes alojados, mercado nacional e brasileiro. Temos também algumas famílias locais”, adiantou a diretora. A ceia custa 65euro por pessoa e o menu inclui bacalhau e borrego, respeitando as tradições nortenhas.

Com um preço por pessoa de 70euro, o hotel The Yeatman já está “com lotação esgotada para a ceia e o almoço do dia de Natal”, segundo o diretor Jan-Erik Ringertz. “As reservas foram feitas com grande antecedência, tanto por parte dos nossos hóspedes internacionais como por famílias portuguesas, maioritariamente da região do Porto”, disse.

As reservas para a noite de Natal já esgotaram há pelo menos uma semana no restaurante do Sofitel Lisboa, onde a ceia custa 55euro por pessoa. De acordo com a responsável, “cada vez mais as famílias optam por passar o Natal fora de casa e isso nota-se na afluência das famílias mais jovens e até com crianças”. A informação é confirmada pelo Epic Sana Lisboa, outro hotel de cinco estrelas onde o restaurante não vai ter descanso na noite do dia 24. “Temos muita procura, quer para o jantar do dia 24 quer para o dia 25, ao almoço e ao jantar”, informam. Neste luxuoso hotel recente da capital, ainda há “alguma disponibilidade” para a consoada, a 65euro por pessoa.

Já estão reservados 75% dos 120 lugares que o restaurante Brasserie Flo, do Tivoli Lisboa Hotel, tem para a ceia de Natal, a 85euro euros por pessoa. De acordo com Roberto Cabral, diretor do restaurante, “há uns anos vinham famílias com mais idade, agora são pessoas mais novas e com filhos pequenos”. Sendo 90% da ocupação do restaurante garantida por estrangeiros, a expectativa é que esgote porque “há cada vez mais portugueses a passar a noite de Natal nos hotéis”. Três quartos dos clientes são externos, o que significa que “muitos estrangeiros estão hospedados noutros hotéis que não têm oferta para a noite de Natal” e optam por ir ao Tivoli. No Altis Grand Hotel, a opinião é que a oferta dos hotéis é que “estimula a procura”, uma vez que têm trabalhado cada vez melhor essa noite. Ainda há “alguma disponibilidade para a noite da consoada, menos para o almoço do dia de Natal” – o menu custa 45 euroseuro.

A oferta de programas de Natal estende-se a todo o país. Depois de dois anos em Óbidos e um em Sesimbra, a família de Filipe Moura escolheu Portimão, uma vez que metade da família está naquela região e os restantes em Lisboa. “O hotel traz leveza a esta quadra, o que nos permite desfrutarmos mais do tempo para estarmos juntos”, conta ao DV.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Tony Dias/Global Imagens)

Consumo dispara e bate subida de rendimentos

Hotéis de Lisboa esgotaram

“Grandes” eventos impulsionaram aumento dos preços na hotelaria em junho

TIAGO PETINGA/LUSA

Motoristas mantêm greve. “Vamos fazer diligências até chegarmos ao diálogo”

Outros conteúdos GMG
Ceias natalícias esgotam hotéis de cinco estrelas em Lisboa e no Porto