fazedores

Eat Drink Walk: Um guia para a cidade

Milhões de turistas fazem férias em Portugal todos os anos, mas
nem todos têm a oportunidade de conhecer o melhor que a gastronomia
nacional tem para oferecer. Para combater ideias preconcebidas e
apresentar as excelentes iguarias portuguesas, Célia Pedroso, 49
anos, e Filomena Ferreira Pinto, 52, juntaram-se para revelar novos
mundos ao paladar dos visitantes.

“Queremos mostrar aos estrangeiros o melhor da nossa
gastronomia, a verdadeira cozinha portuguesa. Muitos visitam Portugal
mas partem com uma ideia errada porque só comeram bifes com batatas
fritas ou um bacalhau muito mal confecionado”, explica Célia ao
Dinheiro Vivo.

A ideia nasceu da vontade das duas amigas de fazerem algo de
diferente nas suas vidas. Filomena é formada em Relações Públicas
e Marketing e Célia é formada em Turismo, mas sempre trabalhou como
jornalista, tendo lançado inclusivamente um livro em inglês sobre a
gastronomia portuguesa: Eat Portugal – The Essential Guide to
Portuguese Food, escrito em conjunto com a britânica Lucy Pepper.

Com um ano de cuidado planeamento para definir rotas e forjar
parcerias, a Eat Drink Walk Lisbon nasceu este verão. A empresa
oferece quatro roteiros gastronómicos guiados na capital – o Belém,
o Gourmet, o Ginjinha, o Petiscos – e mais a sul, em Azeitão. Os
preços variam entre os 45 e os 95 euros e as guias garantem que,
além dos turistas estrangeiros, também estão preparadas para
receber clientes portugueses.

“O resultado final tem sido ótimo, as pessoas têm adorado. A
maior gratificação tem sido ouvir no final de um tour: “Não
estávamos à espera!”, com as pessoas muito surpreendidas pela
positiva”, conta Filomena. “Nós vamos, realmente, aos sítios de
que gostamos, onde levaríamos os nosso amigos, os nosso familiares”,
sublinha.

Experimentar um presunto pata negra, comer a melhor sandes de
leitão de Lisboa, saborear o melhor peixe e marisco da costa
portuguesa ou os inúmeros vinhos e licores nacionais de qualidade
são algumas das propostas que Célia e Filomena fazem aos seus
clientes – que provêm maioritariamente do Reino Unido, da Irlanda,
do Canadá e da Austrália, depois de uma reportagem no jornal
britânico The Guardian ter apresentado a Eat Drink Walk ao mundo
anglófono.

Além de mostrarem a cidade e as suas inúmeras especialidades, já
aconteceu as guias acabarem a falar sobre assuntos bem mais mundanos
com os clientes. “Num dos tours, uma senhora inglesa, professora
primária, quis saber como é que funcionava o sistema educativo
português, ao que acedi explicar”, conta Filomena. “Isto seria
impensável numa visita guiada com muita gente, sendo esta uma das
nossas vantagens: um tour personalizado e cuidado, muito longe do
turismo massificado.”

Uma das maiores surpresas para Célia e Filomena tem sido a
recetividade dos seus clientes às comidas de sabor mais forte. “Em
termos de gosto, são pessoas com alguma curiosidade. E tudo o que
provam gostam, como o queijo de Azeitão”, diz Célia Pedroso. “As
sardinhas em lata têm tido uma grande aceitação, assim como a
sardinha assada, pratos a que até alguns portugueses torcem o
nariz.”

Retrato

A Eat Drink Walk dá quatro sugestões para comer e beber em
Lisboa. Tágide Wine and Tapas Bar, “porque tem uma excelente
oferta de petiscos, com qualidade e imaginação, e bom serviço.
Além da vista, claro”. Wine Spot Chiado, “um wine bar com uma
garrafeira de alta qualidade, atmosfera acolhedora e um apaixonado
por vinhos atrás do balcão, capaz de satisfazer a curiosidade dos
nossos clientes”. Sol e Pesca, “o melhor para provar as conservas
portuguesas”. Nova Pombalina, “uma simples tasca, agora
remodelada e muito frequentada pelas pessoas que trabalham na Baixa;
serve umas deliciosas sandes de leitão e rissóis… além das
limonadas e dos sumos naturais”.

www.eatdrinkwalk.com/lisbon

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

(Paulo Spranger/Global Imagens)

Depois de pagar a renda sobram 450 euros ao salário dos lisboetas

Aptoide | Paulo Trezentos | Álvaro Pinto

Portuguesa Aptoide já negoceia com Huawei para ser alternativa à Google

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Eat Drink Walk: Um guia para a cidade