Génio de 17 anos gera 72 milhões de dólares? É mentira, e os media não perceberam.

Um jovem de 17 anos conseguiu enganar a imprensa mundial que já lhe chamava "lobo de Wall Street adolescente". Finalmente admitiu que os 72 milhões de dólares que tinha feito não eram reais mas sim derivados de simulações que fez com os amigos.

A história foi dada pela New York Magazine, com o objetivo de dar a conhecer a vida de um jovem brilhante que vindo de um meio popular revelou uma aptidão fora do normal para mercados financeiros e se tornou milionário.

Mohammed Islam interesessa-se realmente por mercados de ações, e participa num grupo de simulação de investimentos na escola. Essa escola é o instituto Stuyvesant, uma escola nova iorquina onde realemnte só entram os melhores.

A parte de Mohammed ser brilhante não é mentira: as simulações que fez no mercado fictício da escola deram-lhe uma margem de lucro muito grande. O jovem deixou-se levar no sonho e começou a entrar no personagem, resultando em boatos de que de facto ele teria feito 72 milhões de dólares.

Logo veio uma jornalista, da New York Magazine, que publicou a história que rapidamente se tornou viral. Mohammed foi escolhido pelo Business Insider como uma das pessoas mais influentes com menos de 20 anos em Wall Street e a CNBC quis entrevistá-los. Aqui a história começou a perder os contornos: Mohammed e um amigo que o iria acompanhar cancelaram a entrevista à última hora, levantando suspeitas.

À New York Observer os dois amigos explicaram toda a situação e alegaram não saber de onde vem o número de 72 milhões de dólares que dizem ter sido inventado pela jornalista que escreveu a história.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Plasticos

Garrafas de plástico a troco de descontos nos supermercados só em março

rui

Rui Rio reeleito quer “começar a ganhar o país” com o PSD

Foto: DR

Portugueses gastam 196 milhões em comida pronta nos supermercados

Génio de 17 anos gera 72 milhões de dólares? É mentira, e os media não perceberam.