Mercado da Ribeira

Mercado da Ribeira tem cara nova

Chamam-lhe a primeira revista para ler, comer e beber. A partir do próximo domingo vai ter mais uma opção para ocupar o fim-de-semana. O novo Mercado da Ribeira, projeto nas mãos da revista Time Out, reabre ao público com 30 espaços de restauração e bebidas e cerca de 750 lugares sentados (500 de área coberta e 250 de esplanada).

A primeira fase de revitalização do mercado, no Cais do Sodré, em Lisboa, termina já esta semana e inaugura uma parte do projeto, um investimento de 5 milhões de euros e que levará à criação de mais de 300 postos de trabalho diretos. A revitalização do Mercado da Ribeira teve como objetivo fundir as atividades mais tradicionais com projetos gastronómicos, culturais, de comércio e lazer completamente diferentes.

O rés-do-chão do mercado transforma-se numa praça de restauração com cerca de 3000 metros quadrados e que contará com restaurantes, chefs e produtos nacionais. “Numa altura em que a aposta dos meios é totalmente virada para as novas tecnologias, a Time Out decide criar um desafio de se transformar num espaço e deixar de ser só uma marca de culto em papel. Este projeto é único também para o Grupo Time out Internacional, que apoiou fortemente a ideia”, explica João Cepeda, diretor da revista, em comunicado.

Entre as marcas presentes estarão, por exemplo, a Sumol/Compal, Delta, Unicer (a Super Bock inaugura um novo conceito de experiência), Cozinha da Felicidade, João Portugal Ramos, Pizza a Pezzi, Honorato, Confraria, Arcádia, O Meu Amor é Verde e Santini, entre outras, e também projetos dos chefs Vítor Claro, Marlene Vieira, Henrique Sá Pessoa, Alexandre Silva e Miguel Castro e Silva. Dieter Koschina, estrela Michelin do premiado Vila Joya, estreia-se em Lisboa com um restaurante no mercado, assim como o Café de São Bento, que também inaugura um novo espaço na Ribeira.

O Mercado estará aberto de domingo a quarta, das 10h às 00h, e de quinta a sábado, das 10h às 2h. No primeiro domingo, a Ribeira abre às 12h.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
2. Os telemóveis desvalorizam até 78% do investimento num ano

Burlas com SMS custam um milhão por ano aos consumidores

Ana Jacinto, secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) antes de uma entrevista, esta manhã nos estúdios TSF.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ana Jacinto. Hotelaria e restauração precisam de mais de 40 mil trabalhadores

Austin, EUA

Conheça o ranking das cidades mais desejadas pelos millennials em 2020

Mercado da Ribeira tem cara nova