startup

Miguel Santo Amaro: “Muitos dos sucessos que a Uniplaces teve foram sorte”

Miguel Santo Amaro fundou há dois anos a Uniplaces, o site de alojamento para estudantes universitários, e, hoje, o portal já conta com mais de três mil anúncios, o que corresponde a quase 20 mil quartos em Lisboa, Madrid e Londres. Mas muitos dos sucessos da empresa "foram sorte, foram circunstância". Muitas vezes, aliás, "nem sabemos o que aconteceu", assumiu Miguel Santo Amaro.

O fundador da Uniplaces falava no Lisbon Investment Summit, que decorre esta sexta-feira em Lisboa e reúne alguns dos maiores investidores europeus e dezenas de starups, nacionais e internacionais.

Durante o evento, as 22 startups que estão a participar na 2014 Fall Edition do Lisbon Challenge vão fazer apresentações para tentarem captar investimento. Destas, as 10 finalistas terão oportunidade de apresentar o seu projeto a investidores num roadshow internacional em Londres, São Francisco e Nova Iorque.

Santo Amaro começou o projeto com um inglês, um chileno e um argentino e a aposta dos investidores tem sido grande. Ainda em outubro, conseguiram um investimento de 2,8 milhões de euros junto de vários investidores internacionais e nacionais. Mas o falhanço, diz, é parte do processo.

“Acho que não há respeito pelo falhanço. Fiquei chocado e irritado com as reações que vi à falência da Vida É Bela. Aquela pessoa conseguiu receitas de 40 milhões de euros e conseguiu fazer uma coisa fantástica com vouchers de papel. Pelo menos, tentou”, disse. “Se as pessoas mudarem o chip e aceitarem que o falhanço pode ser bom, isso pode ser muito bom para todos nós”, acrescentou.

Miguel Santo Amaro salientou ainda que este é o momento para procurar investimento. “Há vários investidores com dinheiro para dar, há muito smart capital em Lisboa. E saibam que ter um investidor é casar-nos com ele, vamos ter uma relação com ele. Eles é que têm o poder, mas estão lá para nos ajudar”.

E como captar dinheiro? “O que temos de fazer é definir a nossa valorização, saber o que é cash flow e conhecer os truques. Devemos estar equipados para angariar uma boa quantidade de dinheiro, a mais é sempre melhor do que a menos”, concluiu.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Assembleia da República. Fotografia: António Cotrim/Lusa

Gestores elegem medidas para o novo governo

Joana Valadares e a sócia, Teresa Madeira, decidiram avançar em 2015, depois do encerramento da empresa onde trabalhavam há 20 anos. Usaram o Montante Único para conseguir o capital necessário e a Mimobox arrancou em 2016. Já quadruplicaram o volume de negócios. (Foto cedida pelas retratadas)

Desempregados que criam negócios geram mais emprego

Salvador de Mello, CEO do grupo CUF (Artur Machado/Global Imagens)

CUF vai formar alunos médicos de universidade pública

Outros conteúdos GMG
Miguel Santo Amaro: “Muitos dos sucessos que a Uniplaces teve foram sorte”